segunda-feira, 31 de março de 2014

Lima: sítio arqueológico de Huaca Huallamarca e o boêmio bairro de Barrancos


Depois do passeio pelo surpreendente centro histórico de Lima  fomos direto para a Huaca Pucllana, Como era uma terça-feira demos com cara na porta. Gastamos 10 soles do centro histórico até este ponte de Miraflores. Resolvemos então ir para a Huaca Huallamarca, em San Isidro, perto mas já estávamos cansados e pegamos outro táxi que cobrou apenas 5 soles - R$ 4,00

A Huaca Huallamarca localiza-se n Calle Nicóla de Rivera, 201 - San Isidro. Fica aberta de terça a domingo, das 9 às 17 hs. Ingresso 5 soles.
chegada na Huaca Huallamarca
Este sitio arqueológico é uma pirâmide de adobe que remonta de 200 a 300 a.C. No idioma quéchua "marca" quer dizer região ou cidade, então huallamarca é lugar ou residência do povo hualla. Huaca quer dizer santuário. Arqueólogos recuperaram vários artefatos que estão expostos nas pequenas salas do sítio com uma múmia bem preservada.
 San Isidro é cenário da Huaca Huallamarca
Na verdade não tem muito o que ver, já que o local é pequeno. Mas no topo da pirâmide você uma bela visão do bairro arborizado de San Isidro.
sítio de Huaca Huallamarca
pirâmide de adobe datada de 200 a.C.
bairro de San Isidro
bairro arborizado
Bairro de Barranco
vista de Barranco
Depois da visita ao sítio arqueológico fomos direto para o bairro boêmio de Barranco (táxi 15 soles). Localizado ao sul de Lima, Barranco era um povoado criado no século 19, quando a classe alta limenha adotou o povoado para construir suas mansões de praia. Era muito procurado por franceses, italianos e ingleses que viviam em Lima, por isso sua arquitetura se diferencia dos demais bairros colonizados por espanhóis. Hoje Barranco é famosa por seus bares, restaurantes, cafés e sua vida boêmia.

Já com muita fome  fomos direto procurar um restaurante, preferencialmente com um linda vista para o Oceano Pacífico. Acabamos por optar pelo restaurante Acantillado de Barranco. Nada de mais, mas como já eram umas 16 hs não haviam muitas opções abertas durante a semana.

Mas a vista era linda e só isso já valeu a pena.
             
Ceviche, um caso de amor nacional
O ceviche é um caso de amor para os peruanos. Para uma gaúcha, comer um prato feito de peixe crú, e amar, é um milagre. Estava delicioso: peixe branco, cebolas roxas, milho, muito bem temperado, um pouco apurado na pimenta, mas incrível. Ainda com uma vista dessas. Valeu muito a pena. pagamos por dois ceviches, uma taça de vinho, uma água e uma cerveja 60 soles, cerca de R$ 49,00. Impossível comer por esse preço em qualquer restaurantes no Brasil.

Pietro pós ceviche
El Mirador Catalina Recavaren

Mirante de Barranco

Puente de los Suspiros
Esta tradicional ponto do bairro é um ponto romântico pois diz a lenda que quem cruza esta ponte pela primeira vez, prendendo a respiração, tem seu desejo realizado.
Puente de los suspiros

tradicional local de Lima
Bajada de los baños
costa em Barranco
Lima cinza
parque La Cruz de Barranco
ruelas do bairro
Homenagem a cantora Chabuca Granda


retratos do bairro
estudantes peruanos
Iglesia La Ermita
Parque Barrancos
O Parque Municipal de Barrancos é um dos lugares preferidos dos limenhos, que costumam se reunir nesta praça após a missa nas igrejas do bairro.
Parque Municipal de Barrancos
jadins do parque
As palmeiras altas do parque
Iglesia Santíssima Cruz ao fundo
exposição no parque
canteiros floridos

Biblioteca de Barranco
A biblioteca do bairro já abrigou sua prefeitura e o prédio é de 1922.

biblioteca
 


MATE - Asociación Mario Testino
Localizado na Avenida Pero de Osma, 409 o MATE pertence ao famoso fotógrafo peruano Mario Testino. Aberto de terça à sábado, das 11 às 20 hs e aos domingos das 11 às 18 hs. Ingressos a 15 soles. 

O MATE é um centro de difusão para artistas peruanos e de outros países apoiados pelo fotógrafo.  quem espera encontrar uma exposição de fotos o foco do museu é outro.

   
 
 
 

     

             
  



    
 Outros bons museus de Barranco são;

Museu Pedro de Osma - Av. Pedro de Osma, 423 (museu com pinturas da tradicional Escola de Cusco e esculturas religiosas da Escola de Lima).

Museu de Arte Contemporâneo - Avenida Grau, 1511 (museu com um acervo permanente de 120 peças de artistas peruano e híspanos-americanos).

Sugestão de passeio à pé:




Instagram

Nenhum comentário:

Postar um comentário