terça-feira, 25 de março de 2014

Paracas, parada para conhecer as Islas Ballestras

Chegamos em Paracas, saindo de Ica, por volta de 20h30 e o ônibus da Cruz del Sur parou no terminal rodoviário do vilarejo litorâneo. De início ficamos eu e meu filho Pietro um pouco apreensivos. Já era noite, muito escuro, e o tal terminal era uma galpão pequeno muito simples,  todo em madeira e aberto. Haviam dois ou três funcionários que já vieram nos vender o passeio de lancha para as Islas Balestras. Acabei já comprando lá mesmo, meia desconfiada por 30 PEN cada um, cerca de R$ 24,00 cada um. Após pedir informações onde era o hotel me disseram que era uns 15 minutos andando. Bom, de mochila nas costas achei que era roubada. Pedi se era possível um táxi e quanto era. A atendente disse que era 5 PEN. Realmente barato. Chegando no hotel, o motorista quis me cobrar 10 PEN. Reclamei  e ele ficou todo nervoso.
Baía de Paracas
          
apartamento do Gran Palma Paracas

Como estávamos muito cansados de bater perna o dia todo em Ica, esperar na rodoviária e ainda a viagem de ônibus encerramos a discussão porque queríamos cair na cama. Reservamos pela Decolar uma pernoite com café da manhã o Hotel Gran Palma (Calle 1 – lote 3 – Paracas El Chaco Paracas, Peru). Pagamos pela Decolar R$ 172,00 ou US$ 74,00 ou 212 PEN. Não era muito barato, mas Paracas tem poucos hotéis e lguns resorts mais caros. O hotel era razoável e limpo para uma pernoite. O apartamento era apertado, sem muito espaço para transitar. e colocar a bagagem. Banheiro pequeno com boas tolhas e amenidades de banho. O café da manhã valia muito a pena, não pela sua qualidade, apesar de estar gostoso, mas pela vista linda para o oceano Pacífico. O café é servido no terraço e a vista já vale a hospedagem.
café da manhã com vista para o Pacífico
                                      
                                                    vista do terraço do Gran Palma

bela vista no café da manhã
Pietro em Paracas
                                     Às 7h30 já estávamos em frente ao hotel aguardando o transfer que iria nos buscar para levar-nos ao atracadouro de onde saem as lanchas para o passeio as  Islas Balestras. O transfer chegou 10 minutos atrasado pois passa em outros hotéis para buscar os demais passageiros. o Gran Palma era o último. O transfer de ida e volta estava incluído no preço do passeio.

Dica importante: para o passeio de lancha as Islas Balestras é necessário, mesmo que o tempo esteja quente, um casaco impermeável pois as ilhas se localizam 25 km mar adentro e venta demais. Se tiver capuz melhor, senão leve um boné, protetor solar e, principalmente, não esqueça sua máquina fotográfica.

São apenas 5 minutos do hotel até o atracadouro. O passeio dura duas horas. Vale muito a pena, mas sobre as Balestras vou contar no próximo post. Então se você não fizer o passeio a Reserva Nacional de Paracas, às 10h30 já terá voltado das ilhas e ficará com tempo livre para passear pelo vilarejo. Como pegaríamos o ônibus às 15h20 para Lima acabei não fazendo o passeio.

Elas ganham peixinhos para ficarem quietas para a fotoNo final valeu a pena arriscar e deixar para comprar na chegada a Paracas o passeio. antes da viagem havia pesquisado e as agências estavam cobrando US$ 28,00 o mesmo passeio. Deixe para comprar lá pois existe muita oferta no malecón do vilarejo. caso você queira se sentir mais seguro e comprar antes de sua viagem, vários blogs recomendam este site de turismo para compra. Inclusive para outro passeios e para a Reserva Nacional de Paracas se você tiver tempo, a Mistery Peru.
Na volta passeamos pelo malecón que possui vários restaurantes e tendas de artesanato. Nem pense em comprar coisas pesadas aqui pois você encontra tudo em Lima (mais caro) e em Cusco (mais barato).
el malecón de Paracas
 Optamos por almoçar no Restaurante Delfín Dorado no malecón. A comida era boa e o restaurante agradável, mas o preço foi um dos mais caros que paguei no Peru além do atendimento ser bem bagunçado. Pedimos uma causa de camarão e um risoto de camarão. A causa é uma comida típica peruana, a base de batata, é servido fria e geralmente servida de entrada. Adorei a inka cola e aproveitei para tomar em todas refeições. Tem gostinho de chicletes. O Pietro foi de cusqueña, a cerveja mais popular no país. pagamos por este almoço 80 PEN ou R$ 64,00. Até não é caro para os padrões brasileiros e principalmente para quem vive em são paulo,, mas para o padrão peruano é caro. Mas o tamanho dos camarões valeu muito a pena.

Causa de camarão

Cemitério de camarões
o delicioso risoto de camarões
O A Inka Cola é mais vendida que a Coca-cola no Peru. 
Após o delicioso almoço e um passeio na feirinha do malecón fomos buscar nossas mochilas no hotel e fomos para o terminal da Cruz del Sur esperar nosso ônibus para Lima. 

Observação: viemos para Paracas somente para visitar as Islas Balestras. Foi um passeio muito bom e uma pernoite esta ótimo para você conhecer esse vilarejo litorâneo. Veja o próximo post sobre o motivo principal dessa visita: as Islas Balestras.


Instagram

Nenhum comentário:

Postar um comentário