sexta-feira, 25 de abril de 2014

Opções para ir de Ollanta ao Aeroporto de Cusco.

Na manhã seguinte pegamos um tuc tuc e fomos cedinho para o terminal rodoviário da Cruz del Sur



Chegada à Avenida Ferrocaril de onde partem os trens e ônibus para Machu Picchu e a volta para Poroy. Optamos por voltar de ônibus que custou muito mais barato. Outra opção é um táxi local que irá te cobrar no mínimo U$ 45,00. Seu hotel, hostal ou guesthouse pode viabilizar para você.

                               Para quem necessitar trocar os voucher da Peru Rail pelas passagens.
                                                         Bilheteria da Inka Rail.


Não se assuste, este é o terminal rodoviário da Cruz del Sur em Ollantaytambo. Uma casinha de madeira, mas funciona. Na hora marcada o ônibus aparece e uma hora depois você já está no terminal da empresa em Cusco. A passagem pode ser comprada on line pelo site da Cruz del Sur e custa 11 soles ou R$ 8,60.

Chegando ao terminal rodoviário de Cusco pegamos um táxi para o Hotel Casa Andina Classic Plaza para pegar o restante da bagagem. O Casa Andina foi excelente pois guardou parte da nossa bagagem e retirarmos no fim da road trip Valle Sagrado / Machu Picchu / Ollanta. Com tudo em mãos fomos para o  Aeroporto Internacional Alejandro Velasco Astete. O táxi custou somente 15 soles ou R$ 11,77.

Salão de embarque do aeroporto de Cusco


Estava previsto pegarmos o voo da Peruvian Arilines das 15 hs, fazer com conexão em Lima, e outro pegar outo voo da Peruvian com partida as 20 hs rumo a Arequipa. Mas o tempo fechou nas montanhas andinas e o voo atrasou mais de duas horas. Chegamos em cima da hora em Lima para pegar o voo para Arequipa. Sorte que a equipe da Peruvian em Cusco despachou minha bagagem direto de um voo para o outro, sem necessitar retirar em Lima e despachar novamente, já que os voos foram comprados separados.

Instagram

quinta-feira, 24 de abril de 2014

A vista incrível de Ollantaytambo e o fim de tarde nos Andes

Estar no topo do sítio te oferece uma vista incrível do vilarejo de Ollantaytambo e dos Andes, parece uma pintura cuja profundidade nem o maior pintor conseguiria reproduzir. Nem vou escrever muito pois afinal uma imagem vale por mil palavras.

















E no fim de tarde descemos as montanhas do sítio e fomos passear nas tendas de artesanato e tomar um chocolate quente no Chocomuseum.





 Foi aí que fizemos novos amigos, Alejandro y sus hermanas.





Instagram

O Sítio de Ollantaytambo incrustado nas montanhas andinas


Depois do almoço fomos conhecer o Sítio Arqueológico de Ollantaytambo, cujo o ingresso está incluso no boleto turístico comprado em Cusco.

       

Este sítio se chama Araqama Ayllu e é uma fortaleza que servia para proteger o vilarejo contra os invasores. O sítio possui o Templo do Sol, o Mañacaray ou salão Real, as Termas ou Baños da Princesa e o Intihuatana, usado para traçar o a trajetória do sol.


















Instagram

Batendo perna pela espetacular Ollantaytambo


Para você conhecer Ollantaytambo, saiba que ela é descrita como a cidade inca viva. Ao contrário da sua vizinha e ultra-famosa Machu Picchu, aqui os  moradores locais se empenham em manter as antigas tradições incas como lavrar seus campos com arados rústicos do período dos seus antepassados.


Cercada pelas montanhas do Vale Orubamba antigas residências incas ainda estão encravadas nas montanhas. 

Ollantaytambo leva esse nome é uma homenagem ao general inca Ollanta que se apaixonou pela filha do nono governante inca, chamado Pachacutéc. O general foi obrigado a fugir do povoado após a morte do imperador inca. 

              
Ollannta foi a maior vitória inca da história peruana sobre os conquistadores espanhóis.. masa a cidade foi reconquistada m 1537 pelos espanhóis.



O povo descendente dos incas vivem nessas ruas de pedra desde o século 13 e originalmente e chamava Qossqo Ayllu.

                   

                


                 





Perca-se pelas ruas incas de Ollantaytambo e descubra um lugar que parece ter parado no tempo com suas ruas e casa de pedras, seus canteiros floridos.
 

    




 

Depois de explorar as ruelas de Ollantaytambo fomos para a pequena plaza de Armas do vilarejo a procura de um lugar pata almoçar.

 








Escolhemos um restaurante na Plaza de Armas, a maioria da opções são por ali ou na Avenida Ferrocaril e são todos muito parecidos. Não lembro o nome mas dois pratos: pedi um Lomo Salteado, prato típico em todo o Peru, e meu filho um burritos mais inka cola (é me acabei de beber inka cola já que só existe no Peru) e saiu por 40 soles ou R$ 31,90 tudo. O lomo estava apimentado, mas é como os peruanos gostam,


Enquanto nosso almoço não vinha fomos curtindo a vida local.

camaradagem à peruana


Mas finalmente uns 40 minutos depois chegou meu lomo salteado é um prato à base de fatias de carne cortadas finas, cebolas, tomates temperados com sal, pimenta amarela, molho de soja, azeite, alho e salsa picadas fritas em uma frande frigideira. Acompanha sempre papas fritas e arroz branco.






Instagram