quarta-feira, 9 de abril de 2014

Chegando em Cusco, el ombligo del universo






Chegamos em Cusco vindos de Lima com um voo da Peruvian Arlines, às 11h15. O Aeropuerto Internacional  Alejandro Velasco Astete localiza-se a 5,5 km da Plaza de Armas de Cusco., cerca de uns 20 minutos. O aeroporto é meio bagunçado e as malas demoraram um pouco a serem enregues. Assim que você colocar o pé para fora do prédio, uma turba de taxistas começam a oferecer seus serviços. Escolhi um deles, fechamos a corrida pelo valor de 20 soles, ele ajudou a carregar as mochilas até o carro (dica importante: em hipótese alguma vá para os Andes com mala de rodinhas, o ideal aqui são as mochilas).

O estranho foi quando entramos no carro no banco traseiro e uma moça entrou no banco da frente, após perguntar onde ia começou a oferecer um monte de passeios e falar sem parar. Ofereceu inclusivo o serviço do táxi para passar o dia no Valle Sagrado com U$ 70,00 por pessoa. Paguei para dois U$ 90,00 um táxi pelo meu hotel. não fechei nada, apenas o que combinamos mesmo. E eles me deixaram no hotel.

Em Cusco ficamos no Hotel Casa Andina Classic Cusco Plaza muito bem localizado, no Portal Espinar, 142, uma quadra da Plaza de Armas. Mas é um hotel bem simples e mais antigo. O que foi muito bom foi o atendimento dos rapazes da recepção, que nos ajudaram a procurar táxi para ir ao Valle Sagrado, guardaram nossas mochilas com excesso para irmos para Machu Picchu após o check out (sem taxa alguma), nos recebiam sorridente e ainda nos deram um mimo na partida, umas bonequinhas feitas pelas índias para colocar na lapela. Pagamos R$ 190,00 a diária, para duas pessoas, com café da manhã. O wifi no hotel não era muito bom. Realmente valeu pela localização, pois não precisávamos pegar táxi para circular em Cusco. Não fique longe da Plaza de Armas já que tudo fica nesta região. Ficamos três dias e foi ótimo pois mesmo tão próximos as melhores atrações ainda sentimos o "soroche" o temido mal da altitude.





                           




 


fomos recebidos com té de coca
Após nos instalarmos e descansarmos fomos dar uma voltinha na Plaza de Armas, sempre com muita calma para não passarmos mal devido a altitude. Reservamos o primeiro dia para fazer tudo muito lentamente e sem afobação.
A Plaza de Armas

A Igreja companhia de Jesus foi construída em 1571 pelos jesuítas sobre o palácio  inca Amarucancha. A igreja, de estilo barroco andino, possui belas obras de arte da escola cusqueña. Uma das pinturas mais interessantes mostra o primeiro casamento da cidade, de uma inca com o sobrinho de Santo Ignácio de Loyola, fundador da Companhia de Jesus. Está aberta de segunda à sábado das 9 às 17h30, domingo das 9 às 10h45 e das 13 às 17h30. Entrada paga. 

A Igreja Companhia de Jesus


A Catedral de Cusco começou a ser construída em  1560 e levou mais de 100 anos para sua conclusão. Sua estrutura ficou sobre um palácio inca chamado Wiracocha. As pedras para sua construção foram trazidas pelos espanhóis do sítio arqueológico de Sacsayhuamán. Possui uma representação de a Última Ceia, onde o rosto de Judas Iscariotes é substituído pelo do conquistador espanhol Francisco Pizarro. O prato central da mesa é o cuy, um típico prato dos Andes que é um porquinho da índia assado. Essa pintura é um dos principais expoentes da tradicional escola cusqueña, uma mescla do barroco europeu com a arte andina. aberta diariamente das 10 às 18 hs. Entrada paga de 25 soles.
A Belíssima catedral de Cusco




Depois de conhecermos a Plaza de Armas, a Catedral de Cusco e Igreja da Cia. de Jesus fomos comer algo muito leve, para combater o soroche. O mais indicado é uma sopinha mesmo. Na Plaza de Armas existem dezenas de restaurantes. Escolhemos o La Retama, localizado no Portal de Panes, 123, segundo andar. Desfrutamos uma bela vista para a plaza. Pagamos 40 soles pelos dois pratos e Inka Cola.
Plaza de Armas ao fundo
canjinha
sopa de aspargos
Outros lugares para tomar sopa, se você ficar na dieta contra el soroche no primeiro dia, são:

Inkazuela - Piazoleta Nazarenas, 157
Mr. Soup - Calle Saphi, 448 - Centro Histórico

Já no final da tarde fomos dar um passeio pelo bairro San Blás. Passamos pela pedra dos 12 ângulos. No caminho encontramos alguns locais vestidos de imperadores incas. A Calle Hatunrumiyoc Leva o nome da famosa pedra dos 12 ângulos, encaixada no lado direito do muro.



Aproveitamos para passear pelas calles próximas a Plaza Mayor, com seus nomes interessantes.

 



A Plaza Maayor fica mais linda à noite. E muito movimentada.

 



Na época inca a plaza era usada para finalidade de cerimoniais, era conhecida como Huacayapata, que significada Plaza dos Guerreiros ou Plaza dos Pesares. Todos os anos se comemora o Inti Raimi ou Festival do Sol.

belezas da Plaza Mayor
jardins floridos

E para finalizar nossa noite fomos comer um docinho na pastelaria (doceria em espanhol) La Bondiet (Calle Heladeros, 18)


Nenhum comentário:

Postar um comentário