domingo, 4 de outubro de 2015

A pintura do profano de Sandro Botticelli

A grande atração da Galleria degli Uffizi não é a sala que contém Leonardo da Vinci ou Michelangelo, mas a sala de Sandro Boticelli. O Grande Salão abriga as mais famosas obras do artista florentino, que nasceu em 1445 e morreu em 1510, no bairro de Ognissanti.



O Nascimento de Vênus  é uma linda pintura renascentista, o ápice da genialidade do artista florentino que iniciou sua carreira no estúdio de outro grande pintor: Frá Filippo Lippi, passando pelo estúdio de Verocchio. Nesse período foi colega de Leonardo da Vinci.

Nascimento de Vênus
Botticelli foi um dos pintores preferidos e um dos protegidos do grande Lorenzo di Medici, conhecido como Il Magnífico. Nas pinturas O Nascimento de VênusA Primavera , Botticelli rompe com a religiosidade das obras renascentistas e retrata cenas mitológicas pagãs, que traduzem a filosofia neoplatônica adotada no círculo intelectual e artístico da corte florentina. No Nascimento de Vênus, Zéfiro e Clóris sopram Vênus, que teria nascido das espumas do mar e está numa concha,  em sua direção ao oceano. Inspirado no poema de Politia, as figuras mitológicas substituem a madonna e os anjos. 

Nascimento de Vênus
A Primavera





A Madonna della Melagrana









Na pintura A Primavera, Zéfiro persegue flora e transforma-a em primavera cobrindo-a de flores. As figuras suaves e a noção de movimento e leveza fizeram o diferencial das obras de Botticelli.



















Em A Madonna della Melagrana ou Madonna do Romã (1487), várias sementes de romã estão na mão da Madonna, que simbolizariam os inúmeros sofrimentos de seu filhos, acompanhada de seis anjos.


Allegoria della Calumnia









A Alegoria della Calumnia foi a última obra de Sandro Botticelli, Na cena um homem é ao trono do rei, personificando a calúnia. ao redor dele estão a Inveja, a Perfídia e a Fraude. O Remorso travestido de velha olha para a Verdade nua e ao chão. Essa obra foi inspirada em pintura perdida do artista greco Apeles.



Virgem do Roseiral ou a Virgem om o Menino (abaixo) foi pintada em 1470.


A Virgem do Roseiral
Coroação da Virgem com São João Evangelista, Santo Agostinho, São Jerônimo e Santo Elói


A Coroação da Virgem com São João Evangelista, Santo Agostinho, São Jerônimo e Santo Elói foi o maior retábulo pintado por Botticelli para o Monastério de São Marcos, em Florença.


Adorazzione dei Maggi


Em Adoração aos Reis Magos, a cena se passa em um paisagem em ruínas onde o nascimento simboliza a esperança.
La Pala di San Barnabá


Nesse afresco chamado La Pala di San Barnaba estão retratados a Virgem e o Menino Jesus com seis santos: Santa Catarina de Alexandria, São Barnabá, São João Batista, Santo Inácio e São Miguel Arcanjo (o último ficou fora da minha foto). O quadro também é conhecido como A virgem e o Menino, com quatro anjos e seis santos.

Ritratto di ignoto con medaglia di Cosimo, il Vecchio

O Retrato de um Desconhecido com a Medalha de Cósimo, o Velho possui uma série de boatos sobre o modelo desconhecido do quadro, que seria um criado dos Médici, afilhado de Cósimo e gravador da medalha. Nessa pintura, Botticelli é influenciado pelo estilo de Pollaiollo que tem obras sobre as virtudes expostas na mesma sala na Uffizi.

Fortezza, Temperanza e Fede





Fede, Caritá, Speranza e Giustizia.
O Tribunal de Florença encomendou ao pintor Piero de Pollaiolo pinturas das sete virtudes para serem estampadas na sala onde eram julgados litígios entre mercadores. Os dois últimos ficaram para Botticelli pintar, mas entregou apenas um. Fortezza, ou Fortaleza. As outras virtudes pintadas por Piero de Pollaiolo, acima são a Temperanza e Fede. Abaixo, depois de Fede, vem a Caritá, a Speranza e a Giustizia. Na última foto, a última figura é a Prudenza.



Caritá, Speranza, Giustizia e Prudenza

Instagram

Nenhum comentário:

Postar um comentário