quarta-feira, 29 de junho de 2016

O que fazer em Montalcino, além de degustar o vinho Brunello?







































































Montalcino, na Toscana, é uma cidade bem acolhedora e suas ruelas proporcionam ótimos passeios.



A principal atração da cidade são suas dezenas de enotecas e vinícolas espalhadas na região. Cafés, restaurantes e lojinhas estão presentes na praça central. Algumas lojas parecem de séculos atrás, um verdadeiro sonho.



No verão, o centro fica bem cheio e no outono, uma leve chuva esvaziou a praça central.



      

O Palazzo Comunale tem uma torre com um relógio



A delícia da praça são as enotecas onde pode-se comprar os deliciosos vinhos tintos da região, o Brunello de Montalcino. O Rosso de Montalcino também é outro vinho da região.





Entre as igrejas destacam-se a catedral em estilo neoclássico chamada de San Salvatore in Lauro, datada do século 15.
San Salvatore in Lauro





O Mosteiro e a igreja de Santo Agostinho, Santo Egídio e San Francesco são as outros igrejas históricas próximas do centro histórico da cidade.



A outra linda igreja é o Santuário della Madonna del Soccorso, mais próxima a fortaleza de Montalcino. A cidade um um pequeno museu.

Santuário della Madonna del Soccorso 






terça-feira, 28 de junho de 2016

A Fortaleza de Montalcino



A Fortezza ou Rocca é uma das atrações de Montalcino.



Em 1361, Siena conquistou  Montalcino e construiu a fortaleza para proteger sua nova aquisição.



A fortaleza permanece intacta desde a Idade Média e recebe festivais, concertos e shows de jazz no verão.



Uma enoteca está localizada dentro da fortaleza, um ambiente bem bacana para se desfrutar o excelente vinho Brunello de Montalcino ou o Rosso de Montalcino.



Mas o preço não é nada barato. Existe degustação de três Brunellos de Montalcino pelo valor de ¢ 100,00 euros e o vinhos são o Tenita Nuova safra 2010, Brunello Cerbaiona safra 2010 e Brunello Lívio Sassetti Pertimal safra 2010.



Mas tem degustações mais baratas. É possível fazer degustações de ¢ 14,00 a ¢ 34,00, com Brunellos e Rosso, variando de um a quatro vinhos.



A fortaleza de Montalcino é o lugar ideal para se degustar um ótimo vinho.






Da fortaleza também pode-se admirar a linda vista que contorna a cidade.



segunda-feira, 27 de junho de 2016

Montalcino, pertinho do céu



Montalcino, a cidadezinha conhecida por ser a produtora do melhor vinho da Itália, o Brunello de Montalcino, fica a 43 km de Siena no topo das colinas.



Passear pelas estradas que levam até Montalcino é deslumbrar-se com o que existe de mais belo na Toscana. As cores das folhas no outono são uma gama de tonalidades laranjas e amarelas.



Vinhedos, vilas, vinícolas e enotecas vão proliferando no caminho para Montalcino.



O vale onde a cidade está localizada se chama Val d'Órsia.



Montalcino origina-se do período etrusco e romano, mas foi dominado por Siena, na Idade Média.








Chegando em Montalcino, estacione no parcheggio (estacionamento) em frente a Forteza. Como a grande maioria das cidades toscanas, não é possível transitar pela cidade  de veículo.







E não esqueça de ter moedas para alimentar o parquímetro.








A melhor maneira para chegar em Montalcino é indo de carro. Mas é possível pegar ônibus em Siena, na Porta Pispini, que sai duas vezes ao dia. A viagem custa de 7 a 9 euros e são várias paradas até chegar a cidade.







Um passeio tipo bate e volta de Siena até Motalcino, vai tomar o dia todo. Apesar da curta distância, são muitas curvas.




domingo, 26 de junho de 2016

Locanda di San Martino Residenza di Epoca, dica de onde ficar baratinho em Siena


























Em Siena ficamos hospedados um uma locanda, que são residências de época, geralmente casarões históricos transformadas em hospedarias.



A Locanda San Martino fica a 10 minutos da Piazza del Campo, na Via San Martino.

       

A construção é bem antiga e os móveis devem ter muitos anos. Mas isso não é sinônimo de mal-cuidado. Tudo estava muito limpo e em dia.



A única dificuldade é chegar a esses locais, geralmente localizados nos centros históricos, de carro e com as malas, já que a maioria das ruas de cidade medievais são proibida ao tráfego.







A cidada é cheia de ruelas íngremes e com muitas subidas e descidas. A recepção ficou de passar um email para a prefeitura pedindo liberação para o desembarque de malas. Mas creio que fomos multados da mesma maneira. São tantos os impedimentos nessas cidades medievais, para a circulação de carros, que um ano depois ainda chegavam multas pelo correio.





Passamos somente uma noite e tudo correu bem. O café da manhã é simples, apesar de não haver croissant quentinhos ao qual acostumamos em outros cafés da manhã, são feitas na hora e o cappuccino era simplesmente maravilhoso. O preço da diária na locanda, agora na temporada de verão na Europa, custa R$ 299,00. Fora da estação. fica bem mais barato. Se você quiser acessar o site, clique aqui.




sábado, 25 de junho de 2016

A Catedral e a Loggia della Mercanzia, duas ótimas atrações de Siena



No caminho da Piazza del Campo em direção a Catedral de Siena, passa-se em frente a Loggia della Mercanzia. Nessa antiga praça se reuniam os mercadores e comerciantes, na Idade Média. A Loggia foi construída por eles, em 1417. Repare nos detalhes do teto e das colunas da loggia.



O Duomo de Florença é uma das maiores igrejas da Itália. Sua linda arquitetura gótico românica é impressionante. Sua fachada riquíssima e seu interior suntuoso fazem da catedral um dos pontos mais visitados de Siena.



Suas estátuas da fachada são réplicas e as originais estão no Museo dell'Opera del Duomo.



Seus tesouros vão desde púlpitos esculpidos no século 11, pisos de mármores decorados a uma pia batismal com esculturas de Jacopo della Quércia, Ghibertti e Donatello.



O campanário foi acrescentado em 1313.




Na nave lateral norte encontram-se esculturas feitas por Michelangelo de São Pio, São Paulo, São Gregório e São Pedro.





Para visitar a catedral de Siena pode-se adquirir o OPA Pass, que dá direito a acessar a catedral e o museu. O valor é 14 euros. Para adquirir o bilhete on line, clique aqui.



O interior da catedral é belíssimo com suas listras pretas e brancas e seus pisos em mármore estão incrivelmente preservados. Esse é um passeio que não pode deixar de fazer, em Siena.

piso em mármore

A Catedral de Siena, a Loggia della Mercanzia e outras da cidade



No caminho da Piazza del Campo em direção a Catedral de Siena, passa-se em frente a Loggia della Mercanzia. Nessa antiga praça se reuniam os mercadores e comerciantes, na Idade Média. A Loggia foi construída por eles, em 1417. Repare nos detalhes do teto e das colunas da loggia.



O Duomo de Florença é uma das maiores igrejas da Itália. Sua linda arquitetura gótico românica é impressionante. Sua fachada riquíssima e seu interior suntuoso fazem da catedral um dos pontos mais visitados de Siena.



Suas estátuas da fachada são réplicas e as originais estão no Museo dell'Opera del Duomo.



Seus tesouros vão desde púlpitos esculpidos no século 11, pisos de mármores decorados a uma pia batismal com esculturas de Jacopo della Quércia, Ghibertti e Donatello.



O campanário foi acrescentado em 1313.




Na nave lateral norte encontram-se esculturas feitas por Michelangelo de São Pio, São Paulo, São Gregório e São Pedro.





Para visitar a catedral de Siena pode-se adquirir o OPA Pass, que dá direito a acessar a catedral e o museu. O valor é 14 euros. Para adquirir o bilhete on line, clique aqui.



O interior da catedral é belíssimo com suas listras pretas e brancas e seus pisos em mármore estão incrivelmente preservados. Esse é um passeio que não pode deixar de fazer, em Siena.

piso em mármore

sexta-feira, 24 de junho de 2016

A Piazza del Campo de Siena



































Siena é uma das cidades medievais mais foram planejadas. Possui um praça central chamada  Piazza del Campo, que é a convergência de três ruas principais onde cada uma delimita os três bairros medievais chamados Terzi. Siena, no século 14, foi uma das cidades mais ricas da Europa, rivalizando com Florença. No século 13, foi completamente devastada pela Peste Negra.

Torre del Mangia e Palazzo Público



































Em 1557, foi acrescida ao Grão-Ducado da Toscana, sob o domínio da família florentina Médici. Siena manteve seu centro histórico praticamente intacto. O Museu Cívico e a Torre del Mangia são o centro da vida sienense. Suas noites são iluminadas e o volume de pessoas que ali passeiam e jantam nos restaurantes ao redor do Campo, é sempre intenso.



O Palazzo Público abriga o Museu Cívico da cidade e também é a sede da prefeitura. A Torre del Mangia possui 102 metros de altura e um sino no seu topo. É possível subir na torre após subrir 505 degraus e admirar a vista da cidade. A torre possui o nome do seu primeiro tocador de sinos, Mangiaguadagni, que quer dizer "come lucros". Outra atração da Piazza del Campo é a Fonte Gaia.



A principal atração que ocorre na piazza é o Palio de Siena, a principal festa da Toscana que acontece em 02 de julho e 16 de agosto. A festa data o ano de 1283, mas suas origens remontam o período romano.



A principal atração do Palio de Siena é a corrida de cavalo, onde os jóqueis representam os distritos da cidade. O desfile de trajes da época é outra das atrações.




segunda-feira, 20 de junho de 2016

O vem e vai da Piazzeta Roma, em Monteriggioni







Monteriggioni é um vilarejo dentro de uma fortaleza, que muitos chamam de castelo. A ampla praça central se chama Roma, alguns restaurantes e poucas lojas. A igreja Santa Maria Assunta possui uma fachada românica, de de estilo simples muito comum na Toscana.



Algumas lojas com artesanato e souvenires também estão presentes na praça. Um poço ou cisterna destaca-se no meio da praça.



No mês de julho, Monteriggioni promove a Festa Medieval, um retorno a suas origens da Idade Média.



Monteriggioni possui um pequeno museu de Armas, com exposição de objetos  e armas da Idade Média.



Todas as edificações de Monteriggioni são feitas em pedras e sua fortaleza sempre foi muito atraente para servir de cenário de muitos filmes famosos.



Entre filmes que tiveram Monteriggioni como cenário, estão: Beleza Roubada, de Bernardo Bertolucci; O Paciente Inglês, de Anthony Minghella; Chá com Mussolini, de Franco Zefirelli e Gladiador, de Ridley Scott.



Dica de restaurante em Monteriggioni, na Toscana











A pequena vila de Monteriggioni, na Toscana, possui poucos e bons restaurantes. Tivemos uma boa experiência no Ristorante Da Remo. Localizado no lado norte da Piazza Roma, o ristorante Da Remo é agradável, fica numa edificação histórica e possui vários ambientes. Entre os ambientes, o da varanda é bem procurado, principalmente pela vista para as colinas.



Almoçamos tarde e o restaurante ainda estava cheio, o que fez o atendimento demorar um pouco. Mas a comida compensou. De entrada prosciutto e salame, pães e patês, acompanhados do mais delicioso vinho Brunello de Montalcino Castello Romitorio.



De primeiro prato, piggi com tartufo e prato principal filé com funghi porcini. Tudo uma delícia. O almoço para duas custa cerca de 90 euros. Comida muito boa.




domingo, 19 de junho de 2016

Monteriggioni, a fortaleza da Idade Média se mantém intacta até os dias de hoje



A fortaleza militar de Monteriggioni foi construída pelo habitantes de Siena para se defender de Florença no século 13. ápice das batalhas e rivalidades entre as duas grandes cidades da Toscana.



Pode-se subir e caminhar sobre suas muralhas pelo preço de 2 euros. A fortaleza está muito preservada e atraí turistas do mundo todo. São duas portas para o burgo, sendo a principal a que fica voltada em direção de Siena, e se chama Romea.



Monteriggioni fica distante 56 km de Florença e 27 km de Siena. Duas horas dentro de Monteriggioni são mais que suficientes e combina em um passeio combinado com Volterra ou San Gimignano.



Também vale um almoço em um dos agradáveis restaurantes dentre do burgo.

sábado, 18 de junho de 2016

Monteriggioni, a inspiração do círculo do Inferno de Dante Alighieri





























































E surge Monteriggioni coroando as colinas da Toscana. O vilarejo do século 11 possui incríveis muralhas que foram construídas pelos sienenses para se defender dos ataques dos florentinos.



Em várias ocasiões as muralhas foram destruídas nos combates, para serem reconstruídas em seguida.



São 14 torres que foram descritas pelo grande escritor  Dante Alighieri, no seu livro Divina Comédia. As torres fortificadas deixaram o poeta impressionado, que utilizou como o abismo mais profundo do círculo do Inferno.



Dante compara a fortaleza e suas torres, a gigantes em um fosso.



No post anterior expliquei como chegar a Monteriggioni. A melhor opção sempre é o carro. Todas as outras são muito sacrificadas, se foram feitas de Florença via ônibus ou trem (ou ambos). Melhor vir a partir de Siena. O estacionamento fica no pé da colina e deve ser pago no parquímetro. Tenha sempre moedas para essas máquinas.



Aí é só subir as centenas de degraus até o "Inferno de Dante", que estará mais perto do céu. Vim até aqui para conhecer o que inspirou o grande poeta e escritor italiano da Idade Média.



Internet



sexta-feira, 17 de junho de 2016

Um pit stop em Monteriggioni, no caminho a Siena



Depois de um dia bem movimentado entre amanhecer em San Gimignano e dar mais volta na cidade, ir até a bela Volterra, partimos rumo a Siena. Dizer que a estrada é linda, maravilhosa, seria cair em repetição. Mas a rodovia é linda, maravilhosa e  com paisagens de tirar o fôlego.



Após uma breve passagem por Colle di Val d'Elsa seguimos ao próximo pit stop da região: Monteriggioni.






































É possível passar algumas horas em Volterra e seguir para Siena, dando uma parada de umas duas horas em Monteriggioni.



O acesso para o vilarejo de Monteriggioni é a SR 068. Chegando em Colle di Val d'Elsa, o motorista deve acessar a SP 5 até o vilarejo. Monteriggioni fica distante 40 km de Volterra (50 minutos), 30 km (40 minutos) de San Gimignano, 56 m (uma hora) de Florença e 21 km (25 minutos) de Siena. As diferenças no tempo deve-se ao fatos que algumas rodovias são regionais e outras são rodovias mais rápidas. De carro sempre é mais confortável. Mas é possível ir por outros meios, com um pouquinho de sacrifício.




É possível ir de Florença a Monterioggioni de ônibus, partindo da Autostazione Sita Firenze, que fica ao lado da Estação Ferroviária de Santa Maria Novella. Partem dois ônibus por dia em direção a Siena. Um sai as 7h55 e 15h15. O número do ônibus é o 1310, um legítimo pinga-pinga. O ônibus para na rotonda (rotatória) de Monterioggioni. São 63 km de distância. Se vai voltar para Florença se informe o horário do ônibus para voltar, pois só terá uma chance. O preço varia entre 9 e 12 euro para um trecho.



De trem o esforço fica um pouco maior. A saída é na estação de Santa Maria Novella rumo a Empoli. O trem é regional e a saída acontece cada 20 minutos. O trajeto até Empoli dura 35 minutos. O preço dessa viagem é de 1 a 3 euros. Na estação de Empoli deve-se pegar outro trem até Castellina in Chianti. De Empoli a Castellina são 50 km e o trem parte cada uma hora e custa de 3 a 5 euros. Os trens podem ter um trajeto direto de 50 minutos ou até de duas horas, se for um pinga-pinga.



Chegando em Castellina são mais dois ônibus até Monteriggioni. O ônibus 125 sai três vezes ao dia até Fontebecci. São 18 km de distância em um trecho que dura 30 minutos. Já em Fontebecci, o ônibus que vai  a Monteriggioni é o 130, com cinco horários diferentes para um trajeto de 10 km O primeiro trecho fica de 4 a 6 euros. O segundo trecho fica de 1 a 2 euros. Um verdadeiro trabalhão. E isso é só a ida.



Já de Siena até Monteriggioni pode-se ir de ônibus, são cinco viagens por dia, a viagem dura 25 minutos e parte da Piazza Antonio Gramsci. O preço da passagem varia de 3 a 5 euros. Para quem estiver em San Gimignano,deve pegar o ônibus 130, que vem de Florença, cinco vezes ao dia. De San Gimignano a Monteriggioni a viagem dura uma hora e custa de 6 a 8 euros.



O número de ônibus é o 130. Um táxi custa entre 19 e 25 euros. Pelo menos em sites de busca de táxi.