terça-feira, 26 de julho de 2016

O belíssimo Musei Capitolini e suas Esculturas



Os Museus Capitolinos são uma excelente surpresa, já que se fala muito do Museu Vaticano ou da Galeria Borguese. As obras são interessantes e ele é bem mais vazio que outros museus de Roma. O acervo do Capitolino foi doado pelo para Sisto IV, em 1471. Os museus possuem riquíssimas esculturas, sarcófagos, pinturas, moedas, jóias, móveis de época e mosaicos.



 No Palazzo Nuovo as principais obras são: a Morte de um Galatá, Discóbolo, Alexandre Severo, o Caçador e Salão dos Filósofos e Mosaico dos Pombos.



O Palazzo dei Conservatori é o ponto alto dos Museus Capitolinos. As esculturas são belíssimas. A estátua equestre do Imperador Marco Aurélio, toda em bronze, é a que foi feita para a Piazza Campidoglio. A estátua mede 4,24 metro e foi retirada da Piazza del Campidoglio em 1981 e exposta no museu.



O Espinário é um escultura muito graciosa do século 1 e está localizada na sala dei Trionfi (6) e a Loba Capitolina que retrata os gêmeos Remo e Rômulo, fundadores de Roma, são outras duas obras de grande importância. Há divergências se a loba capitolina seria do período etrusco ou medieval.



A bela Medusa é uma das lindas esculturas em Roma do escultor italiano Gian Lorenzo Bernini (sala 8 - Salle delle Oche), onde retrata o mito grego, baseado em um poema de Ovídio.



Os restos de uma estátua colossal do Imperador Constantino, toda feita em bronze chamam a atenção no museu.



Acima, a bela Vênus Esquilina.




Essa escultura do imperador Comodus, filho do imperador Marco Aurélio, mostra sua megalomania  ao ser retratado vestido de Hércules, com a pele de um leão na cabeça.



O Museu possui muitas salas impressionantes com diversos artigos do período romano, como o sarcófago acima.



Salas repletas de bustos de imperadores, filósofos e mortais estão nas diversas salas do museu.



                      

Outra grande obra é a de um leão mordendo um cavalo.



Os Museus Capitolinos ficam abertos das 8h30 às 19h30.

                      

No térreo existem réplicas da estátua colossal do Imperador Constantino.



O valor do ingresso é 16 euros por pessoa, para visitação em ambos os palácios. Para adquirir seu ingresso on line, clique aqui. O Musei Capitolino vale muito a visita. Foi uma grata surpresa

segunda-feira, 25 de julho de 2016

A Piazza del Campidoglio, obra arquitetônica de Michelangelo em Roma



A Piazza dei Campidoglio foi redesenhada por Michelangelo Buonarotti para a visita do imperador Carlos V, em 1536. O artista italiano remodelou toda a piazza e reformou as fachadas dos palácios Senatório, Conservatori e Nuovo.



A escadaria chamada Cordonata foi planejada por Michelangelo, pois a piazza está localizada no alto do Monte Capitolino.  Inclinada, a escada exibe as estátuas dos gêmeos Castor e Pólux, filhos do deus Júpiter e irmãos de Helena de Troia. O Palazzo Conservatori foi construído em cima do templo de Júpiter Capitolino.



  O piso da Piazza del Campidoglio possui um desenho um desenho em forma de estrela e no centro uma estátua equestre do imperador Marco Aurélio. A escultura atual na piazza é uma cópia da original, guardada no Musei Capitolini.



A balaustrada é enfeitada com colunas trazidas da Via Appia e com estátuas do imperador Constantino e do seu filho Constantino II.



O Palazzo Senatório foi construído durante a Segunda República, quando o papado fugiu para Avignon, na França. A fachada foi desenhada por Michelangelo, mas foi construído posteriormente por Giácomo della Porta.



O palazzo foi o centro político de Roma, nos séculos 16 e 17. A fonte que liga as escadarias possuem estátuas que representam o Nilo e a Esfinge.



O Palazzo Conservatori e o Palazzo Nuvo, em frente, contém o acervo do Musei Capitolini. Michelangelo construiu um balcão em cada prédio, com as estátuas se olhando, uma frente a outra.



A Piazza Campidoglio possui uma linda vista de Roma, com seus prédios em tons de laranja.

           

Sugiro visitar a piazza algumas horas antes do por do sol, pois o lugar adquire tons dourados do sol que está se pondo.

         

Os vasos com água são o local favorito dos pássaros da região. A Piazza é linda e um dos lugares mais agradáveis de Roma

          

domingo, 24 de julho de 2016

Os arredores do Campidoglio



A região da Piazza do Campidoglio, em Roma, possui várias atrações. Uma delas é a Prisão Mamertina, a antiga prisão do Fórum Romano. A prisão datada do ano de 640 a.C. está localizada embaixo da igreja de San Giusepe dei Falegnami. Com dois níveis abaixo da terra, os presos mais ilustres que por ali passaram seriam os apóstolos Pedro e Paulo, além do líder gaulês Vercingetorix.



A Igreja de Santa Maria Aracoeli possui uma fachada de tijolos com uma belíssima escada a sua frente, a Scalinata dell'Aracoeli. A escada foi construída em 1348, em comemoração ao fim da peste Negra. A igreja possui um afresco do século 15 do pintor italiano Pinturicchio, denominado O Funeral de São Bernardino. A igreja fica no alto do Monte Capitolino, ao lado da Piazza dei Campidoglio e dos Musei Capitolini.



O Teatro Marcelo foi construído por Júlio César na área do Campo de Marte. O teatro levou esse nome em homenagem ao filho de Otávia, sobrinha de Julio César e irmã do primeiro imperador romano, Otavius Augustus, que terminou a construção.



Em frente a Piazza dei Campidoglio, em direção ao Teatro Marcelo está o Largo Enrico Berlinguer. Berilnguer foi um importante político italiano e Secretário Geral do Partido Comunista Italiano.



A igreja de Igreja Santa Maria de Loreto possui algumas belas obras no seu interior, entre elas, uma do artista Sansovino.




No início da via del Corso esta o Palazzo e Galleria Doria Pamphilj, datado de 1435. Uma família de mecenas ricos, os Pamphilj abriram ao público um grande acervo de obras de arte, com mais de 400 pinturas.



O acervo possui obras de Tiziano, Guercino, Caravaggio e Velásquez.



A galeria possui ainda tapeçarias, candelabros de Murano e móveis de época. O ingresso custa ¢ 12,00 e abre diariamente das 9 as 19hs.





Todos os arcos do Fórum Romano



Arco de Sétimo Severo

O Arco de Sétimo Severo, em roma, foi construído entre 197  e 202 d.C. pelos filhos do imperador, Caracala e Galba, em comemoração ao décimo aniversário do reinado do imperador e sua vitória sobre os partos (povo proveniente da Pérsia, atual Irã).


Todo construído em mármore branco, o Arco de Sétimo Severo possui lindos relevos das vitórias militares.


Duas estátuas faziam parte do original, uma do imperador Sétimo Severo e outra do seu filho Galba. Em 212, Caracala assassinou o irmão e mandou remover as estátuas, bem como todas as inscrições referentes ao irmão que estavam no arco.


Arco de Tito



Erguido pelo imperador Domiciano, no ano de 81 d.C., o Arco de Tito foi um monumento para festejar o saque sobre Jerusalém feito pelo pai do imperador, o também imperador, Vespasiano, e seu irmão Tito 13 anos antes.







Alguns detalhes em relevo do arco, mostram espólios da tomada de Jerusalém sendo levadas para Roma.








Curiosidade: judeus do mundo todo negavam-se a passar embaixo do Arco de Tito durante todos esses séculos.



Os judeus somente passaram embaixo do arco quando foi criado o Estado de Israel, em 1948.



Os arcos ficam dentro do Fórum e o ingresso está ticket combinado com p Coliseu + Monte Palatino + Fórum Romano.

          

sábado, 23 de julho de 2016

Conheça os templos do Fórum Romano



São tantos os templos no Fórum Romano que é difícil saber qual olhar. Alguns são apenas ruínas do que havia em Roma, mesmo assim são grandiosos.




O Templo de Saturno foi erguido para o culto ao Deus Saturno, no ano de 42 a.C., ainda durante a República. No mês de Dezembro, os romanos comemoravam as Saturnálias, um festival onde durante uma semana tudo fechava em comemoração a Saturno. Durante as festas, escravos confraternizavam com seus senhores.



Saturno seria o deus grego Chronos, filho do Céu e da Terra. Segundo os romanos, Saturno teria assassinado seu pai e foi expulso pelo filho Júpiter (o Zeus grego) do céu. Saturno teria se refugiado no Lácio, dando origem a Roma. Glorificavam o dia de sábado ao deus Saturno.



O Templo de Castor e Polux foi construído em agradecimento a vitória na Batalha do Lacus Regillus, vencida sobre os latinos. Castor e Pólux eram os gêmeos da constelação de Gemini, filhos de Júpiter (Zeus) e Leda e irmãos de Helena de Tróia.



O Templo de Vespasiano e Tito foi construído para homenagear a dinastia Flaviana, da qual pertenciam.





O templo foi erguido pelo imperador Domiciano, filho e irmão dos deificados.






O templo de Rômulo foi construído em homenagem ao fundador de Roma.







Já o Templo di Cesare foi uma homenagem a deificação de Júlio César, que nem chegou a ser imperador, mas foi o grande promotor do Império Romano.



Realmente são muitos templos para um só lugar. São tantos os monumentos desse sítio arqueológico, que as  informações se atropelam. Os templos do Fórum Romano, pode ser melhor visualizados do Monte Capitolino.



O preço do ingresso para visitar os templos dentro do Fórum Romano é de ¢ 12,00 e dá direito também ao acesso ao Coliseu e Monte Palatino. Para ingressos no site oficial em português, clique aqui.

O Templo das Virgens Vestais no Fórum Romano



O Templo das Virgens Vestais, no Fórum Romano,  foi criado para cultuar a deusa romana Vesta, Deusa do Fogo. As vestais era um sacerdócio feminino exercido por seis mulheres que eram escolhidas entre os 6 e 10 anos e que eram obrigadas seguirem virgens por 30 anos.

    

Uma parte do templo à Vesta ainda permaneceu. Esse era um dos santuários mais venerados da Roma Antiga. A Casa das Vestais possuía 50 quartos, que eram ligados ao templo e davam para um jardim com estátuas das sacerdotisas, que permanecem até hoje.



Remo e Rômulo seriam filhos do Deus Marte com a vestal Rea. As vestais deviam manter uma chama de fogo acesa em honra a Vesta, no templo.



As sacerdotisas eram sempre de famílias nobres de Roma. Caso a chama se apagasse  ou a sacerdotisa perdesse a virgindade, eram enterradas vivas. Passado 30 anos, elas podiam casar-se.

  

Em frente o Templo das Virgens Vestais está o templo de Antonio e Faustina.

 

O templo foi construído pelo imperador Antonino em honra a sua esposa falecida Faustina.



O sucessor de Antonino, Marco Aurélio, renomeou o templo com o nome do imperador morto.






O preço do ingresso para visitar os templos dentro do Fórum Romano é de ¢ 12,00 e dá direito também ao acesso ao Coliseu e Monte Palatino.

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Conheça cinco igrejas católicas no Fórum Romano



1 - Basílica de Maxêncio

A Basílica de Maxêncio foi uma das últimas construídas dentro do Fórum Romano. A igreja foi iniciada pelo próprio imperador Maxêncio e concluída pelo imperador Constantino, após derrotar seu rival em uma batalha e se tornar imperador de Roma.



Suas três abóbadas foram construídas em cimento queimado, uma novidade para a época. Suas paredes possuem nichos internos onde haviam estátuas adornado as abóbadas. Já a abside da igreja teria inspirado o pintor italiano Michelangelo a criar o domo da Basílica São Pedro.



A basílica de Maxêncio foi destinada nos seus primeiros anos a atividades comerciais e administrativas.



2 - Basílica de Santa Francesca Romana

Santa Francesca Romana, outra das basílicas no Fórum Romano, foi construída no século IX e sua arquitetura é estilo românico, e uma das últimas em Roma.

 

A igreja possui em seu interior uma Maestá e seu teto é todo decorado em dourado.







O confessionário foi projetado pelo arquiteto e escultor mais amado do barroco, o italiano Gian Lorenzo Bernini.






3 - Igreja de São Cosme e Damião

Outra igreja no Fórum Romano é a igreja de São Cosme e Damião preserva nos fundos as portas de bronze do século 4, que eram do Templo di Rômulo.







A igreja foi consagrada no século 6 em honra aos gêmeos árabes que eram médicos. a atual facha foi construída no século 16. Possui um altar-mor de estilo barroco e um teto decorado com o triunfo dos gêmeos.



 3 - Igreja de San Lorenzo in Miranda

Na Idade Média foi construída uma igreja pelo papado chamada San Lorenzo in Miranda (século 7).



O altar da igreja possui um afresco do artista italiano Pietro de Cortona. Na frente da igreja estão as colunas do antigo templo de Antonio e Faustina.

         

4 - Curia Júlia 

Abaixo, a igreja com três janelas é a Curia Júlia foi a sede do Senado Romano e construída em substituição a Cúria Cornélia por Júlio César. A Cúria Júlia, tem seu nome em homenagem a gente Julia, que seria a descendência de Júlio César. Com o assassinato de César, as obras da cúria foram paralisadas por muito anos, até ser concluída por Otávio Augustus, primeiro imperador de Roma e sobrinho de Júlio César.

 


5 - Igreja Santi Luca i Martina 

Essa bela igreja se chama Santi Luca i Martina e começou a ser construída no século 7. Passou por sucessivas reformas e, finalmente, no século 17 o arquiteto Pietro de Cortona, assumiu as obras finais da igreja.A base da igreja é na forma de cruz grega e com o tempo foi construída uma bela cúpula. A igreja de Santi Luca i Martina fica ao lado da Cúria Júlia.
   


quinta-feira, 21 de julho de 2016

Templo de Vênus e Roma, em frente ao Coliseu



Em frente ao coliseu está o Templo de Vênus e Roma, no Fórum Romano, que foi construído em 136, grande parte pelo imperador Adriano.



O templo foi construído sobre a Domus Aurea, a Casa Dourada do Imperador Nero. Esse teria sido o maior templo pagão do Império Romano, sendo o Panteão o mais famoso.



A construção do templo durou 20 anos e foi concluída em 141 d.C. A homenagem foi feita a Deusa Vênus, que teria se relacionado com Marte, nascendo dessa união o Amor ou Cúpido.



Em 307 d.C., o templo sofreu um incêndio e foi destruído.

 

Foi reconstruído pelo Imperarador Maxêncio.



Hoje restam parte das colunas que sustentavam o templo e o domo.



Um pequeno museu abriga os achados do Fórum no Antiquarium Forense. Ali estão urnas funerárias da Idade do Ferro e frisos que enfitavam o templo.



Junto ao domo que restou do templo está a a torre do sino de Santa Francesca Romana, de estilo românico, uma das igrejas construídas sobre as ruínas do Fórum.



O Templo de Vênus e Roma está incluso no ingresso combo do Coliseu + Fórum Romano + Monte Palatino, no valor de ¢ 12,00.


Planta dos Museus Vaticanos.


O Fórum Romano e Via Sacra, o centro da vida de Roma



O centro da vida em Roma , durante a República e o Império, era o Fórum Romano. Local onde se agitavam os senadores em suas intensas vidas políticas. Roma foi célebre em por seus discursos políticos e nas figuras imponentes imperadores (alguns amalucados) e dos corajosos generais do exército romano.



O Fórum Romano também foi o grande palco dos seus filósofos, intelectuais, escritores e poetas, como Sêneca, Virgílio, Ovídio, Plutarco, Cícero, Plínio, Catulo e  Petrônio, entre eles.



Grandiosa por muitas eras, o Fórum Romano era um local caótico durante a República, um misto de templos pagãos, mercados e prostíbulos, tudo junto e ao lado do Senado da República (qualquer coincidência com o planalto central brasileiro, é uma mera coincidência).



No ano 2 a.C. as barracas de comida e mercados foram tiradas da região e cortes de justiça e centro comerciais foram ali implantados.



Durante toda sua existência, o Fórum Romano sempre foi o centro de cerimônias e glorificação a deuses pagãos.



Haviam festas para todos os dias, semanas e meses do ano. Eram as populares saturnálias, lupercalias, parentálias, vestálias e dezenas mais. Após a República, os imperadores que se sucederam mandavam  construir mais e mai templos e monumentos.




A via mais famosa de Roma Antiga cruzava o Fórum Romano e passava por todos os monumentos e templos que havia no local, a Via Sacra.



A Via Sacra saía do Monte Capitolino, onde ficava o Capitólio (os atuais Museus Capitolinos) e ia até o Coliseu, passando por todos os templos, locais de devoção, senado.



A Via Sacra era sempre o local onde dava-se o desfile triunfal do exército romano quando entrava na cidade, após grandes batalhas.


A Via Sacra já foi toda coberta, e no reinado de Nero foi ladeada por colunatas.



Séculos e séculos se passaram, e algumas poucas ruínas sobreviveram ao tempo. Mesmo assim é impressionante. Em dias de chuva o local fica um pouco íngreme e com lama. Vá preparado. No verão o sol é muito forte. Passe protetor pois não há onde abrigar-se. Lembre-se, você está em um sitio arqueológico.



Entrada: 12 euros (combinado com o Coliseu e Palatino).





mapa do forum romano