segunda-feira, 8 de agosto de 2016

A Basílica San Pietro, lugar de fé para mais de um bilhão de pessoas



O centro da Cristandade é a Basílica San Pietro. Foi aqui a fundação da igreja por São Pedro, e onde o Imperador Nero mandou crucificá-lo em 67 d.C.



A primeira igreja , em Roma foi construída pelo Imperador Constantino em 324, mas a basílica atual foi edificada entre 1547 e 1626.



Muitos arquitetos, pintores e escultores famosos foram chamados a Roma para dedicar-se a deixar a basílica como é hoje, entre eles, Michelangelo Buonarotti, Rafaello Sanzio e Gian Lorenzo Bernini.



Logo na entrada, na  nave sul, está a obra mais conhecida da basílica, a Pietá de Michelangelo Buonarotti. A belíssima escultura foi feita em 1498, quando o artista tinha somente 24 anos de idade.



A escultura tem uma curiosidade sobre a vida de Michelangelo. Muito orgulhoso dos seus trabalhos, foi o único trabalho que Michelangelo assinou. O artista assinou seu nome talhado e transpassado pelo peito a virgem, como em uma faixa.

          

Não se sabe porque, depois da Pietá, Michelangelo não assinaria mais nenhuma obra. Deve ter levado a sério o pecado capital da Soberba.



Toda a opulência da Igreja Católica vai aparecendo conforme o altar se aproxima. Coberta do mais fino mármore, parte até retirado do Coliseu, obras de arte renascentistas e barrocas vão chamando a atenção.





O incrível Domo de São Pedro foi construído por Michelangelo. Com 136 metros de altura, o domo foi finalizado após a morte do artista, que morreu aos 89 anos.

         

Outro grande tesouro da Basílica San Pietro é o baldacchino do escultor Gian Lorenzo Bernini, que fica logo embaixo do lindo Domo de Michelangelo, recebendo a luz natural que entra pela abertura da rotunda.



Uma escadaria de 537 de grus leva ao topo do domo de Micheangelo.



O baldacchino é um dossel de 29 metros de altura, todo feito em bronze, com colunas retorcidas.



As colunas possuem ramos de oliveiras e louros dourados. Um emblema do papa da época, Urbano VIII, e da família ao qual pertencia, os Barberini.

 

Somente o papa pode realizar as missas embaixo do dossel.



Outra  curiosidade. O bronze que deu origem ao baldacchino foi a porta retirada do Panteão Romano, uma porta de bronze de 15 séculos para fabricar  dossel. Os restos de São Pedro estariam em relicários, abaixo do baldacchino, no subterrâneo.



O baldacchino de Bernini situa-se sobre o túmulo de São Pedro

            

Apesar da polêmica retirada do mateial para talhar o baldacchino, ele foi feito magistralmente, u é uma peça linda e histórica. Uma das principais obras do Barroco.



Bramante foi o primeiro arquiteto chamado pelo papa Julio II. Bramante estava em crise com sua ruptura com a tradição em construir as igrejas em forma de cruz latina. Bramante queria que suas construções tivessem a forma de cruz grega, onde os braços da cruz são em tamanhos idênticos.

        

Como um soberano esclarecido,  Júlio II concordou. O projeto de Bramante deixava um amplo espaço no meio da igreja, pois não utilizava as paredes.



Com a morte do papa Julio II, em 1513 e a de Bramante, em 1514, um seguidor de Bramante assumiu a obra após a morte do mestre. O rapaz era Rafaello Sanzio. Junto com Rafael assumem mais dois arquitetos: Giulliano de Sangallo e Frá Giocondo.



O monumento ao Papa Alexandre VII (abaixo) foi o último trabalho de Gian Lorenzo Bernini na basílica. Concluído em 1678, mostra o Papa Chigi entre as figuras da Verdade, da Justiça, da Caridade da Prudência.



Corredores e capelas localizadas nas laterais da nave central, continuam com sua opulência sobres as capelas menores.



Foram após todos esses arquitetos que surgiu Michelangelo para completar o Domo e, finalmente, terminar a construção da basílica.

             

As diversas capelas possuem afrescos de artistas italianos.

            

Outas esculturas de papas estão nas capelas, todas feitas em mármore.



Acima, o túmulo do papa Bento IV.

           

A estátua do papa Gregório VIII.e a estátua de Longino, esculpida por Bernini.

       

Acima, a estátua um angel e ao lado a escultura de Pio X.



Mas a estátua mais procurada e com o pé gasto é a estátua de São Pedro, onde os visitantes costumam esfregar o pé do santo para retornar a Roma.

       



Acima, túmulo de Inocêncio II, construído por Fellippo della Valle.

          






          

Quando se anda pela basílica San Pietro o raio de visão deve levar em conta o que está nas paredes, no teto e no chão.



Tampas para cobrir passagens feitas de ferro fundido dourado, pode ser uma tesouro.



A mesma cosa com  os belos mosaicos em mármore no chão.



Quando você menos espera, está pisando sob uma égide papal.

            



Os confessionários são talhados em madeira maciça.



As belíssimas Portas de Filarete são em bronze fundido, decorados com relevos bíblicos, originárias da velha basílica do local.



A entrada na basílica é gratuita e inicia das 7  e vai até 18h30. Geralmente a fila para entrar e passar no raio x, leva de uma hora para mais.



Para os quem quiserem muito ver o papa, às quartas, 10 horas ele reza na Piazza San Pietro ou na Câmara de Audiências Papais. Os ingressos gratuitos devem ser reservados pelo telefone 06 69 88 31 14. Também tentar um ingresso à direita da colunata, no escritório, junto as portas de bronze.



Aos domingos, no horário de 12 horas, o papa aparece no balcão para abençoar os fiéis no balcão.



Endereço: Piazza San Pietro
Ingresso: gratuito (filas para entrar de no mínimos uma hora).
Metrô: Ottaviano
Horários: Basílica - das 7 as 19hs (de outubro a março até 18hs) - abre diariamente
                Tesouro - das 8 as 18h50 (de outubro a março até 17h50) - abre diariamente
                Grutas - das 7 as 17h40 (de outubro a março até 16h40) - abre diariamente
                Domo - das 8 as 17h45 (de outubro a março até 16h45) - abre diariamente

2 comentários:

  1. Adorei seu post. Fui duas vezes a Roma e não consegui entrar na Basílica.

    ResponderExcluir
  2. É uma pena, Fátima. Quem sabe, na próxima vez, você vai mais fora da temporada. Era novembro quando fui. A fila era bem suportável e valeu muito a espera de uma hora.

    ResponderExcluir