segunda-feira, 22 de agosto de 2016

A charmosa Piazza di Spagna e a Scalinata della Trinitá dei Monti



A Piazza mais famosa de Roma é a Piazza di Spagna. Alguns dirão que é a Piazza Navona, mas ambas são lindas e grandiosas e compõe com a Piazza del Popolo o que existe de mais interessante da vida romana.



A bela Piazza di Spagna ganhou esse nome  no século 17, após a Espanha escolher o local para ser sua embaixada na Santa Sé.



Ponto de encontro de romanos e turistas, a piazza é um dos pontos turísticos de maior movimento da cidade, sempre lotada de pessoas passeando, rindo e conversando o tempo todo, em uma verdadeira confraternização e que Woody Allen retratou recentemente no seu filme, Para Roma com Amor



Mas a bela praça possui várias atrações.



A primeira é a Fonte della Barcaccia, construída por Pietro Bernini, escultor bem menos famoso que seu filho, Gian Lorenzo Bernini, um verdadeiro Deus em Roma, e considerado um dos maiores escultores e arquitetos italiano, responsável entre outras obras pela Piazza San Pietro e a Fontana dei Quattro Fiumi, na Piazza Navona.



A fonte foi projetada no ano de 1627  e construída aos pés das escadarias da praça.




A Colunata da Imaculada Conceição, em frente Barcaccia, é uma coluna que homenageia a Virgem Maria.



A coluna foi construída no século 19, em frente a embaixada da Espanha, e possui uma escultura da virgem no seu topo.

       

Outras quatro figuras bíblicas estão esculpidas aos pés da coluna, são Ezequiel, Moisés, Isaías e David.

 

Mas a piazza teve seu momento dândi, quando escritores e poetas ingleses românticos e renomados viviam no belo casarão aos pés da escadaria, além de outros estrangeiros famosos.



Situada na Piazza di Spagna, 26 está a mansão onde morou John Keats. O poeta inglês morreu aqui de tuberculose aos 25 anos. A mansão hoje é o Museu Keats-Shelley Memorial House.



A mansão era ponto de encontro dos poetas e escritores românticos, como Percy Shelley e sua esposa Mary Shelley, a escritora de Frankenstein, além de Lord Byron.



O museu tem objetos pessoais dos escritores ingleses e está aberto ao público de segunda a sábado, das 10 as 13hs e das 14 as 18hs. Aos domingos não abre. O ingresso custa ¢ 5,00.

       



Mas a grande atração da Piazza di Spagna é a Scalinata della Trinitá dei Monti.



A escadaria foi construída em 1725 por um financiador e diplomata francês, chamado Etienne Gueffier que desejava proporcionar um elegante acesso a igreja localizada no topo, chamada Trinitá dei Monti.

         

Os franceses queriam colocar uma estátua do Rei Luis XIV no alto da escadaria, mas o papa da época recusou.


A elegante escadaria foi por muito tempo um dos centros da vida romana. Estrangeiros vinham para a piazza em busca de inspiração e cultura. O romancista inglês Charles Dickens, relata que a piazza, no século 17, já ficava cheia de modelos vestidos de imperadores, santos e madonas querendo posar para artistas estrangeiros.





         

O topo da escadaria proporciona uma bela visão de toda a praça. Ficar na Piazza di Spagna é se entregar a um dolce far niente.





Outras atrações da Piazza di Spagna são o Caffé Greco, do século 18, frequentado pelo escritores Lord Byron, Goethe e Keats, além dos compositores Wagner e Liszt.



Muito próximo está a Igreja de Sant'Andrea delle Frate, que possui dois anjos de Bernini.




Então, não tenha pressa em passar pela Piazza di Spagna. Ela vale bem mais que uma visitinha rápida. Entregue-se aos que os romanos fazem de melhor, curtir suas praças e tomar um café ou um Spritz Aperol.

Nenhum comentário:

Postar um comentário