terça-feira, 16 de agosto de 2016

As incríveis pinturas das Stanza Rafael, nos Museus Vaticanos



1 - Sala della Segnatura

Tão bela como a Capela Sistina são as Stanza Rafael, ou os quartos de Rafael, assim chamados em homenagem a Rafaello Sanzio, o pintor italiano renascentista que idealizou essas salas. Os quartos eram os aposentos privados do Papa Julio II, que mandou construir os aposentos para se livrar de qualquer lembrança do seu odiado antecessor, Alexandre VI, o Papa Bórgia.



As obras começaram em 1508, quando Rafael e seus alunos trabalharam arduamente para substituir os afrescos de outro mestre do Renascimento, Perugino. As Stanza Rafael impulsionaram a carreira do jovem pintor, mas os aposentos levaram 16 anos até serem finalizados.



As quatro stanzas foram idealizadas pelo pintor com base em ideais humanísticos da Teologia, Filosofia, Justiça e Poesia. A obra mais impressionante, além de extremamente inspiradora é a denominada Escola de Filosofia (foto acima). A Escola de Filosofia fica na Sala da Segnatura e reflete  a harmonia entre a Cultura Clássica e o Humanismo,



Nesse afresco, Aristóteles (de manto vermelho) debate com Platão (de manto azul) sobre filosofia.



Sentado nas escadas está Michelangelo Buonarotti (de túnica lilás), que na mesma época pintava a Capela Sistina, e era o artista que Rafael admirava. Tanta genialidades a pouquíssimos metros de distância.



Nesse lado do afresco estão retratados o filósofo e matemático grego Pitágoras (abaixo, no canto esquerdo, de túnica vermelha e manto azul claro lendo um livro). Ao redor dele espiando o que ele lê, estão o geógrafo e astrônomo grego Anaximandro, o filósofo e médico muçulmano Averróis (de turbante) e Epicuro de Samos, um filósofo grego. O conquistador da Macedônia Alexandre, o Grande (na última fileira, o quarto da direita para a esquerda, com capacete). Ao seu lado o historiador Xenofonte e o filósofo ateniense Sócrates (de túnica mostarda).



Rafael teria se retratado como o personagem em uma túnica toda branca, e de cabelo comprido, em pé e mais à esquerda da foto acima. Na foto abaixo, o outro lado do afresco da Escola de Atenas aparecem ao centro de túnica azul curta sentado nas escadas seria o filósofo grego Diógenes ( à esquerda da foto), à frente e agachado seria o matemático e físico Arquimedes (de túnica vermelha). O aluno de túnica azul seria o arquiteto italiano Bramante. De barba e boina é o profeta e poeta persa Zaratrusta.



De túnica dourada (de costas) seria o matemático e astrônomo Ptolomeu. Ao seu lado, de túnica e boina branca está Protógenes ou o pintor italiano Pietro Perugino. Rafael teria retratado muitos dos pintores italianos como figuras do período helenístico. O próprio Michelangelo se parece filósofo Heráclito. Aristóteles também se confundiria com Leonardo da Vinci. Uma dupla leitura do artista relacionando os grandes pensadores do período helenístico com os grandes pintores, escultores e arquitetos da Renascença. Obra de um gênio, Rafaello Sanzio. Simplesmente espetacular.



Escondido atrás da figura de capa amarela, surge novamente Rafael retratado por ele mesmo, espiando, como um artista contemplativo da grandeza da Renascença. Devo dizer que fiquei completamente impactada com a grandeza dessa pintura magnífica.



Em outra parede está a Disputa do Santo Sacramento (foto acima)





Acima, o belíssimo teto da Stanza della Sgnatura.

2 - Sala de  Heliodoro





Essa sala é dedicada ao poder que o papado exercia. A pintura Heliodoro Expulso do Templo é uma referência a vitória do Papa Júlio II sobre exércitos estrangeiros.



Outro afresco da Sala Heliororo é a Missa em Bolsena (abaixo, na parede à esquerda), o afresco é sobre um milagre ocorrido em 1263.



A cena relata um padre, que em constantes dúvidas, viu uma hóstia sangrar.

            

                   

O teto da stanza possui belíssimos afrescos pintados pintados no teto.



3 - A Sala de Constantino 



Essa sala retrata o triunfo da religião Cristã sobre o paganismo. Relata em outra cena a vida do imperador Constantino, criador do Cristianismo e que unificou todas as religiões pagãs em uma só.



Essa sala oito anos para ser concluída e Rafael morreu antes disso. A sala foi concluída pelos alunos do mestre.



Nessa sala estão os afrescos Visão da Cruz e Batalha da Ponte Mílvio, onde é retratada a vitória do Imperador Constantino sobre seu rival Maxêncio, que unificou os dois reinos romanos, do ocidente e oriente.



4 - Stanza dell'Incendio

   

Essa sala foi encomendada por Leão X ao pintor Rafael e possui esse nome devido um pretenso milagre ocorrido durante um incêndio do papa Leão IV.



As quatro Stanzas Rafael estão nos Museus Vaticanos e seu acesso está incluso no ingresso de entrada do museu, que custa ¢ 16,00.

Nenhum comentário:

Postar um comentário