quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Capela Sistina, a obra prima da Humanidade



Se me perguntarem qual a maior obra da Humanidade não pestanejo em responder. Com certeza, a Capela Sistina é imbatível. Michelangelo atinge sua plenitude como artista máximo da Renascença com o Juízo Final e O Pecado Original. O que mais impressiona na genialidade no artista, é que Michelangelo pouco pintava. dedicava-se mais a escultura e arquitetura.



Construída entre 1473 e 1481 a pedido do papa Sisto IV, mas foi o papa Júlio II quem contratou Michelangelo para pintar o teto em 1508. As cenas centrais pintadas por Michelangelo são A Criação, o Pecado Original e a Expulsão do Homem do Paraíso. Michelangelo iniciou o trabalho apoiado por um grupo de ajudantes, mas logo dispensou todos e passou quatro anos pintando sozinho o teto.



Noé também foi lembrado nas pinturas de Michelangelo. Ao redor dos painéis, figuras decorativas se destacam como os ignudi, ou jovens nus. Figuras de profetas e sibilas que teriam previsto o nascimento de Cristo também se destacam no teto imaginado pelo artista.



a Criação do Sol e da Lua retrata um Deus como uma figura severa, que ordena que o Sol ilumine a Terra.



O Pecao Original mostra Adão e Eva comendo a fruta da Árvore da Sabedoria, e posteriormente sendo expulsos do Paraíso. Na década de 80, uma grande restauração do teto da capela, após séculos de acúmulo de poeira, mostrou toda a beleza das cores de Michelangelo. Todas as figuras do teto tiveram sua restauração feita a base de pão e retsina (vinho grego). A restauração revelou figuras mais brilhantes e coloridas.



O outro destaque da Capela Sistina é a obra o Juízo Final pintado por Michelangelo na parede central.



O Juízo Final foi pintado anos mais tarde pelo mesmo Michelangelo, em 1535, encomendado pelo papa Paulo III. A obra foi finalizada somente em 1541.



A pintura de Michelangelo é sublime. Retrata as almas dos mortos em elevação para enfrentar a figura de Deus. Um verdadeira batalha entre Céu e Inferno. Esse era o sentimento da igreja na época, para reforçar sua crença na Reforma.



Mortos são retirados de seus túmulos e levados para o Céu, para serem julgados por Cristo.



Cristo é retratado como um figura atlética e musculosa, pouco misericordioso em sua piedade frente aos condenados.



Mas a figura que mais me chamou atenção é a de Caronte, o barqueiro do Mundo Inferior que expulsa as pessoas de seu barco.



As pessoas caem na profundeza de Hades, que seria o Deus dos Mortos.



Caronte, também é comprado a Minos, o juiz do Inferno de Dante, do livro A Divina Comédia. O personagem recebeu orelhas de burro.



A obra gerou uma grande controvérsia na época devido as figuras nuas pintadas por Michelangelo.



Anos depois,  o papa Pio IV contratou o pintor Daniela da Volterra para pintar sedas sobre os nus das figuras de Michelangelo. o artista ficou eternamente conhecido como Braghettone, o fazedor de calças.



Entre a década de 80 e 90, com a restauração da capela, parte da cobertura sobre os nus de Michelangelo foram revertidas.



Estar sob o teto da capela é algo deslumbrante e inesquecível. Olhar cada detalhe, cada figura, cada cena. Conhecer a capela foi o ponto alto de nossa viagem a Itália, em comemoração dos nossos 25 anos de casamento. E ali, nesse momento tão mágico, sob os olhares magníficos da obra prima da Renascença, um monsenhor abençoou nossa união.


                                                             Imagem: Wikipedia

Uniu nossas mãos sob A Criação do Mundo e nos abençoou. Um momento que nem foi planejado, era o monsenhor que ali ficava e simplesmente nos ocorreu pedir. E ele muito gentilmente atendeu. Foi algo incrível, ter Michelangelo participando de um momento tão especial das nossas vidas.


                                                       Imagem: Wikipedia

A capela possui outras pinturas de artistas italianos muito conhecidos, mas a genialidade da obra de Michelangelo acabou sempre por obscurecer as outras obras. Pinturas de Pinturricchio, Sandro Boticelli, Domenico Ghirlandaio, Luca Signorelli e Pietro Perugino.



Para conhecer a Capela Sistina o ingresso está incluso na entrada de ¢ 16,00 do Musei Vaticani, o horário é agendado e a capela chega a receber 20 mil visitantes ao dia. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário