terça-feira, 9 de agosto de 2016

Rumo aos Museus do Vaticano



Se você me perguntar se vale mesmo a pena ir ao Museu Vaticano, minha resposta será: sim, vale muito a pena. Os museus são belíssimos e nem é necessário conhecer todos os tesouros da Humanidade que ali estão.



 Tesouros dos mais diversos povos se encontram no Musei Vaticani: egípcios, assírios, gregos, etruscos e romanos, obras que vão de arte primitiva a arte moderna, passando pelo diversos períodos, coo o Medieval, o Renascentista e o Barroco.



São esculturas, pinturas, tapeçarias, mosaicos, candelabros, mapas, afrescos, jóias, urnas funerárias, sarcófagos, banheiras, objetos religiosos, arte moderna, enfim, tudo que possa imaginar. Mas as grandes jóias do Museu Vaticano são a Capela Sistina, de Michelangelo Buonarotti e as Stanzas Rafael, de Raffaello Sanzio.


Para chegar ao museu, vindo da Piazza San Pietro, passe pela colunata de Bernini da direita e por baixo da Porta Angelica, no Largo del Coronato.



Ao lado da Porta Angélica e no caminho para o museu, uma linda fonte com água potável enfeita a Via di Porta Angélica. Se você quiser poupar ¢ 4,00 por uma garrafinha de água, reutilize a sua e aproveite para encher a sua aqui.



São 15 minutos de caminhada da Piazza San Pietro até a entrada do museu.

 

Basta ir seguindo as placas indicativas ao redor do muro da Cidade do Vaticano. Lembre-se, uma dica para não se perder é mapa na mão e ler as placas indicativas, que são abundantes nas proximidades de lugares turísticos romanos.



Os ingressos custam ¢ 16,00. Mas a fila para a bilheteria pode ser enorme, principalmente nas férias do verão europeu. Comprar ingressos on line é a melhor pedida. Mas acrescerá 4 euros de taxa, por pessoa e o ingresso custará um total de ¢ 20,00. Lembre-se, o museu é enorme e as vezes vale a pena furar fila, Legalmente, é claro.




























Se você optar a compra on-line, o voucher gerado na hora da compra, deverá ser trocado pelo ingresso na bilheteria.



Visitar os Museus do Vaticano requer tempo e paciência. O lugar é enorme e está instalado em palácios que datam o Renascimento, dentro da área interna do Vaticano. Os palácios foram construídos por papas como Julio II, no século 16. No século 18, o acervo foi exibido pela primeira vez ao público.




Se você quiser realizar uma visita mais enxuta, programe uma visita guiada, comprada no próprio site oficial do Vaticano, e que possui uma duração definida. As visitas podem ser feitas com um guia bilíngue, geralmente italiano e mais alguma língua (inglês, francês, espanhol, português, alemão). Você recebe um audioguia, que deve ser devolvido ao final do passeio.




Existem vários tipos de visitas guiadas para optar. Veja abaixo:

Essas visitas são feitas com um guia disponibilizado pelo Vaticano, em italiano e mais uma língua.
Museu do Vaticano e Capela Sistina - duração de 2 horas                                              ¢ 32,00
Jardins do Vaticano - duração de 2 horas                                                                       ¢ 32,00
Jardins do Vaticano de ônibus - duração de 40 minutos                                                  ¢ 36,00
Jardins do Vaticano e Basílica San Pietro, com capela Sistina - duração de 3 horas         ¢ 37,00



A visita guiada é muito corrida, você literalmente passa correndo pelas obras. Acho interessante  esse tour se você for pela primeira vez. Meu conselho é, faça a visita guiada de duas horas e depois circule pelos lugares que você quer voltar com mais calma e para dar uma volta na Pinacoteca do Vaticano, que não está no roteiro do passeio. Sempre munido com uma mapa das dependências internas para não ficar perdido, que você apanha na recepção. Assim, não agende sua visita próximo ao horário de fechamento do museu, pois aí não irá desfrutar de tempo livre para ver outras salas.



Ou quem sabe sentar-se no restaurante do pátio chamado Cortille della Pigna para tomar um café. Ou dar uma volta nas lojinhas com calma. Você não pagará nada mais se ficar algum tempo após a visita. Por isso, não agende sua visita guiada para muito tarde.



Na entrada somente algumas máquinas de bebidas e lanches prontos estão disponíveis, caso você queira comer antes duma maratona pois não existe parada para tomar água, café ou ir ao banheiro. Seja precavido.




Olha o papa!!!! Brincadeirinha gente. Esse é somente uma imagem de vídeo que fica passando nos telões enquanto o guia reúne a turma.

Os Museus Vaticanos abrem de segunda a sábado, das 9 às 18 horas. As bilheterias fecham as 16 horas.



Para quem estiver em Roma no último domingo do mês, a entrada é gratuita, mas as filas são enormes, muitas vezes vão até a Piazza San Pietro. No último domingo do mês o horário de funcionamento do museu é das 9 às 12h30. Então, melhor chegar cedo.



A entrada para os museus se dá por essa rampa de acesso da foto acima, ou pela escada rolante.



A saída é feita por essa bela rampa em espiral, construída em 1932. Para comprar seu ingresso direto dos Museus do Vaticano, clique aqui.



Nenhum comentário:

Postar um comentário