quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Île de la Cité, descubra os segredos no coração de Paris



A Île de la Cité deu origem a Paris quando foi habitada por tribos celtas no ano 3 a.C. A tribo dos Parisii deu nome a cidade. Logo chegaram os galeses, os romanos e, posteriormente, os francos.



A ilha era estrategicamente localizada no Sena, o que tornava mais fácil ser defendida. Para chegar a Île de la Cité, somente atravessando o rio.



A principal atração da Île de la Cité é a Catedral de Notre Dame, o mais belo exemplar medieval na Europa.



O coração de Paris pede um passeio a pé, sem pressa, para conhecer as belezas da Île de la Cité.



Faça um passeio ao jardim ao redor da catedral para apreciar os rendilhados e gárgulas da arquitetura da igreja (em um próximo post abordarei somente a catedral). A catedral fica na Square João XXIII.



Na área atrás da igreja, uma fonte neogótica de 1844 adorna o jardim.



A estátua do rei do Sacro Império Romano Carlos Magno, junto com seus vassalos, possui uma estátua bem ao lado do Marco Zero de Paris em frente a Notre Dame.



Aos domingos a região sempre fica mais cheia. A entrada na catedral é gratuita, basta ficar na fila que se forma em frente ao prédio. Com o Paris Museum Pass pode-se o Tour de Notre Dame, e subir no topo da catedral.






A Cripta Arqueológica, que está sob a Square Jean XXIII, tem 120 metros com ruas e casas do período Gálio-Romano.



É possível encontrar partes de uma muralha contruída para a defesa da Lutécia romana, que remonta o século III a.C. Maquetes da tribo celta dos Parisii, que habitaram o local, estão expostas para esclarecer como era a Île de la Cité, no seus primórdios.



O valor do ingresso é 5 euros ou gratuito mediante a apresentação do Paris Museum Pass.



Um pouco mais adiante fica o Palais de Justice (foto abaixo), um conjunto de prédios com belas torres medievais. No período romano o local foi residência do governador. Em 138, Carlos V transferiu a corte para o bairro do Marais



O local personifica nos dias de hoje o legado napoleônico do sistema judiciário francês.

     

Acima os belos portões do Palais de Justice. A Sainte Chapelle, uma das mais bonitas igrejas góticas de Paris foi finalizada somente em 1248 por Louis XI, para abrigar o que acreditava-se ser a coroa de espinhos de Cristo e os fragmentos da sua cruz. Após danos durante a Revolução Francesa, a catedral foi restaurada. Devido sua acústica, a igreja é palco de concertos vespertinos de música clássica. Ingressos a ¢ 10,00 e gratuito para estudantes com menos de 26 anos.



Com o Paris Museum Pass a entrada é gratuita.



As pontes da Île de la Cité são belíssimas. Na foto abaixo, a ponte Notre Dame vista da Ponte d'Arcole.






Outro belo prédio da região é esse com a rotonda, a Greffe du Tribunal de Commerce de Paris.



Ao lado fica o Marché aux Fleurs et Oiseaux, um dos maiores mercado de flores de Paris, na Place Louis Lépine.



Mas o mais belo prédio da Île de la Cité é o Conciergerie, que faz parte do Palais de la Justice, onde morou a dinastia que governou a França no Período Medieval, os Capeto.



De 1391 a 1914 o local serviu de prisão. Um dos presos mais ilustres foi François Ravaillac, o assassino de Henrique IV de Bourbon, em 1610. Na Revolução Francesa, a Conciergerie ocupou sua lotação máxima, em torno de 4 mil presos. A mais ilustre foi a rainha Maria Antonieta, que ficou em uma pequena cela até ser executada em 1793.



A assassina do líder revolucionário Marat, Charlotte Corday também acabou seus dias nessa prisão.



O Tour de l'Horloge é do século XIV. A Conciergerie ainda mantém a câmera de tortura do século XI. O ingresso da Conciergerie custa ¢ 8,50 euros.



Outra ponte belíssima que liga a Île de la Cité a Rive Droite (margem direita do Sena), ao bairro Châtelet é a ponte mais antiga de Paris, a Pont Neuf (Ponte Nova). A Pont Neuf, foi imortalizada por escritores e artistas desde sua inauguração, em 1607, por Henrique IV.



Na foto acima, a Pont Neuf vista da Pont au Change.





4 comentários:

  1. É muita maravilha junta! Enche a alma! Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Maximus, realmente enche nossos olhos e nossa alma. Continue conferindo os posts sobre Paris. Abraços!

      Excluir
  2. Gente! Foram as melhores postagens sobre Paris. Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Clara, obrigada!Ainda tem dezenas de posts sobre Paris. Abraços!

      Excluir