quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Os espetaculares Portões do Inferno de Auguste Rodin



Auguste Rodin era um fã incondicional da Divina Comédia, de Dante Alighieri, levando sempre em seu bolso um pequeno exemplar. Em 1879, foi-lhe encomendado um portão para a entrada do Museu de Artes Decorativas, que era então o antigo Tribunal de Contas da França e que havia sido incendiado pelos revolucionários da Comuna de Paris.



O tema proposto foi a Divina Comédia de Dante e seus Dez Círculos do Inferno. Uma primeira versão foi apresentada durante a Exposição Universal de 1900, inconclusa.



Rodin trabalhou a vida inteira na sua obra Os Portões do Inferno, que só foi concluída em 1917, a obra teve como ajudante, sua aluna e amante Camille Claudel. A obra é uma viagem ao mundo das almas penadas, com mais de 200 personagens esculpidos. Os Portões do Inferno nunca foram colocados no Tribunal, sendo somente concluídos entres os anos de 1880 a 1917) em bronze. Hoje encontra-se instalado no Jardim das Esculturas, no Museu Rodin.





































A obra é o maior símbolo da Art Nouveau privilegiando as formas sinuosas que saem do quadro.
Rodin vai  mergulhando no mundo de Dante Alighieri e contando as histórias do Inferno. Nessa obra ele retrata o personagem Ugolino, que é emparedado com seus filhos e, torturado pela fome, vê seus filhos correrem e putrefarem. Essa é apenas uma das históricas tenebrosas da Divina Comédia. Rodin molda Ugolino como uma besta, sofrendo e rastejando em cima dos filhos, ávido pela fome, desprovido de qualquer traço de humano que um dia já teve. E acaba por devorá-los.












Três moldes espetaculares foram feitos para os Portões do Inferno. A primeira baseada no Portal do Batistério da Basílica de Santa Maria del Fiore, em Florença.



A segunda maquete foi feita no gesso e a terceira maquete possuía  protótipos das formas humanas indicadas com gotas de cera esmagadas. Versões dizem que Rodin teria se inspirado na obra O Juízo Final, de Michelângelo, para moldar a disposição dos personagens (se você quiser ler sobre a obra do Juízo Final, clique aqui).


No lado direito de Ugolino, estão Paolo e Francesca, em um deslizamento de corpos. Em toda porta, lavas ferventes vão engolindo os corpos. Abaixo, Fugit Amor.































Os espaços são preenchidos por profusões de corpos de mulheres nuas  que invocam o caos. Um esqueleto leva para o inferno os corpos das mulheres nuas, que somente na morte.




Os frisos da porta são cabeças dispostas sobre O Pensador, que não sabe-se ao certo se seria o juiz do Inferno observando o fim ou o Criador meditando sobre sua criação. Mas o símbolo da atividade intelectual, com cada músculo do seu corpo contraído, demonstra seus pensamentos.

Mercúrio preso na moldura central cumpre seu papel mitológico de condutor dos mortos do Inferno. Abaixo, o Filho Pródigo.


O Pensador seria o próprio Dante Alighieri, elevado, olhando o abismo.

      


O homem que tomba ao vazio do Inferno, crianças sofredoras, cortesãs decapitadas, Adão e Eva em ambos os lados do portal lembram o Pecado Original e sofrimento da Humanidade.

 
E, para nossa surpresa, quando estamos em frente ao Portão do Inferno, uma meia dúzia de carros pretos param e descem homem com caram de poucos amigos, vestidos com ternos pretos e aqueles óculos escuros. Comentei com meu marido que tinha pinta de serviço secreto. 




Claro que só recebi aquela olhadinha, "de onde ela tirou isso?". Mas a extremamente eficiente e simpática Loretta Lynch, Procuradora Geral da República dos Estados Unidos, desceu do seu veículo para admirar Os Portõees do Inferno com Rodin. Para quem não lembra, Loretta Lynch é aquela que colocou metada da FIFA atrás das grades. Teria ido buscar inspiração nos Portões do Inferno de Auguste Rodin e Dante Alighieri ?

























O endereço do Musée Rodin é 77, Rue de Varenne, no Invalides - 7o Arrodissement. O ingresso custa ¢ 10,00. Com o Paris Museum Pass não é necessário pagar nada mais. O horário de funcionamento do museu é das 10 as 17h45, de terça a domingo. Metro: Varrene





Nenhum comentário:

Postar um comentário