segunda-feira, 31 de outubro de 2016

As belas salas de esculturas do Louvre: de Michelangelo aos Cavalos de Marly

O Escravo Morimbundo




































As três alas do Louvre são acessadas  pela entrada principal, sob a pirâmide de vidro. Sugiro iniciar a visita pelo piso térreo da ala Denon, onde estão as esculturas italianas, do norte da Europa, e as greco-romanas. Caso opte iniciar pelo piso térreo da ala Richelieu, ali ficam expostas as esculturas da França.

O Escravo Rebelde




































Se iniciar sua visita pela Ala Denon, não se arrependerá, pois a sala italiana possui duas belas esculturas de Michelangelo Buonaroti chamadas, o  Escravo Moribundo e o O Escravo Rebelde.

As esculturas foram esculpidas para a base do mausoléu do papa Júlio II, em 1513, mas esse projeto foi interrompido inúmeras vezes. Em 1524, Michelangelo doou as esculturas para Roberto Strozzi, que acolheu o artista durante sua doença. As estátuas  seguiram, quando o artista ainda estava vivo, uma para o castelo do condestável de Montmorency, em Ecouen, e outra para o castelo do cardeal Richelieu, em Poitou. Em 1793, as estátuas passaram para o Estado francês.

Psiquê revivida pelo beijo de Eros
























De Antonio Canova, outro grande escultor italiano, veja a Psiquê revivida pelo beijo de Eros, de 1787.

Detalhe de Psiquê revivida pelo beijo de Eros.
detalhe de Psiquê e Eros























Abaixo, a escultura em bronze do Giambologna, Mercúrio voando.

Mercúrio voando, Louvre
Mercúrio voando





















A Virgem Penitente é um nu em tamanho natural de uma estátua de Maria Madalena , do início do século XVI, do escultor alemão Gregor Erhart.

O nu de Santa Maria Madalena de Gregor Erhart.
Virgem Penitente




































Sala Manege - Coleção de Antiguidades dos Séculos XVII e XVIII








Belas esculturas clássicas dos séculos XVII e XVIII, são uma mescla da Grécia, Roma e Egito também estão presentes no -1 da ala Denon, na sala 17, na sala chamada Manege.


As salas com abóbadas de tijolos, possuem capitéis esculpidos e diversas colunas. 

São 80 esculturas apresentadas sobre pedestais em um espaço de 800 m².

Todas magníficas, uma bela sala que merece dispensar alguns minutos da sua visita ao Louvre.





As esculturas francesas da ala Richelieu

As Três Graças, de Cordier
Três Graças




































As esculturas francesas estão localizadas nos andares térreo e no mezanino ou subsolo ou -1 da ala Richelieu.

Acima, toda a beleza das Três Graças, Nicolas Cordier um escultor e gravurista francês, expoente do maneirismo tardio. As Três Graças representam a fertilidade associada a Afrodite.

Resultado de imagem para pranteadores encapuzados
Oito Pranteadores Encapuzados
Uma das obras mais interessantes da sala das esculturas francesas são os Oito Pranteadores Encapuzados, do túmulo de Philippe Pot, um alto funcionário em Borgonha.

Carlos V e Joana de Bourbon




































As estátuas dos reis Carlos V e Joana de Bourbon permanecem anônimas sobre que as esculpiu até hoje.

Amor fazendo um arco com a clava de Hércules























Acima, de Edmé Bouchardon, Amor fazendo um arco com a clava de HérculesUma das maiores esculturas francesas do Louvre são os Cavalos de Marly, que são em número de dois e estão expostos no pátio de Marly, no mezanino, -1.

O outro Cavalo de Marly
Cavalos de Marly
Essas estátuas equestres foram esculpidas por Guillaume Coustou e estavam, anteriormente ao século XIX, na Place de la Concorde, quando foram substituídas por réplicas, sendo os originais passadas para o Louvre.

Um dos Cavalos de Marly
Cavalos de Marly
Os cavalos de Marly Estão sob o teto de vidro do Cour Marly, junto a outras esculturas francesas, como os bustos de Diderot e Voltaire.


 0 / Térreo / Rez-de-Chaussée































-1 / Mezanino / Subsolo / Entresol

Nenhum comentário:

Postar um comentário