sábado, 22 de outubro de 2016

Dicas para uma visita ao Louvre



Prepare-se! Visitar o Louvre não é para quem gosta de programas calmos, tranquilos, sem pressa, sem filas, ainda mais se você é daqueles que deixa para a última hora e não gosta de planejamento. Sua visita poderá ser verdadeira roubada. Horas de batalha na fila para comprar seus ingresso e entrar. Você, e possivelmente mais umas 200 mil pessoas em um único dia de visita, se acotovelando pelos extensos corredores do museu.



Sem falar em umas 300 pessoas com os celulares levantados a sua frente, tentando desvendar o que está por trás daquele sorriso enigmático da Mona Lisa. Ou aquela horda de orientais que andam em bando dentro do museu. Mas deixar de visitar o Louvre? Claro que não, apenas programe-se, para tornar um pouco menos cansativa sua visita, pois os tesouros acumulados ali dentro, realmente valem os sacrifícios e os testes de paciência.




























Primeira dica, chegue cedo ao museu para seu dia render. Nada de chegar ao 12 h e achar que verá muita coisa. São duas as entradas para o Louvre. A entrada principal é a da pirâmide de vidro. A segunda entrada é o Le Carroussel du Louvre, um complexo subterrâneo com galerias, chapelarias, lojas, banheiros, estacionamento e guichês de informações. 




























Tudo isso, embaixo do Arco do Triunfo do Carrossel. Também é possíveacessar essa entrada pela estação de metrô Palays Royal-Musée du Louvre e pela entrada do carrossel, pela Rue du Rivoli.



Mas uma terceira entrada, meia esquecida, fica na Porte des Lions. Ela possui bem menos fila, e acessa o piso térreo da ala Denon. A entra d pirâmide é a mais mocvientada

 

Tem a opção de aquisição do cartão de atrações para 2 dias, 4 dias e 6 dias. Com esse cartão, onde você paga um determinado valor e tem acesso a vários museus e monumentos de Paris, você ganha também o direito de furar a fila, passando por uma porta lateral. Para saber mais sobre o Paris Museum Pass, clique aqui



O Musée du Louvre abre todos os dias, exceto nas terças-feiras, nos seguintes horários:
As coleções do museu: das 9h às 18hs (fechamento das salas às 17h30), com horários noturnos nas quartas e sextas-feiras até às 21h45 (fechamento das salas às 21h30). Em feriados não há horários noturnos. As exposições temporárias: sob a pirâmide (Hall Napoléon), das 9h às 18hs, e até às 21h45 nas quartas e sextas-feiras.


 

Bilheteria: o ingresso é válido durante todo o dia. A venda de bilhetes termina às 17h15 e às quartas e sextas, às 21h15.

Valor do ingresso: ¢ 15,00. Audioguia em diversas línguas.



O Musée du Louvre faz uma série de alertas contra os pickpockets, os batedores de carteira franceses, que atuam dentro do museu. Tenha em mente que o Louvre recebe uma média de 200 mil pessoas por dia. Eles atuam também dentro do museu. Principalmente quando o turista está distraído fotografando ou admirando as obras de arte. Isso vale também para as filas.



As entradas do museu possuem detector de metais. Guarde sua mochila, casaco, pertences no guarda-volumes gratuito. Mas decore o local, pois você coloca no armário, tranca e leva sua chave. Leve o que for usar, porque tudo fica muito longe para ficar voltando o tempo todo.



Na entrada do guarda-volumes, tem um local para colocar seu guarda-chuva de cabo. Parisiense é muito chique, mesmo. Pensam em tudo.



Guia de visitas gratuitos estão à disposição nas mais diversas línguas, no balcão de informações, no hall de entrada (embaixo da pirâmide).



O museu possui empréstimo de cadeira de rodas e carrinhos para crianças, além de balcão de achados e perdidos.



No hall de entrada há uma boulangerie Paul, um salão de chá Angeline, além de um restaurante de cozinha francesa. Um espaço com algumas cadeiras e mesinhas, para tomar um café estão no hall. Nas alas também é possível fazer um lanche para enganar a fome.



Livros de arte, catálogos de exposição, guias de visitas, imagens, presentes, jóias e reproduções de obras estão à disposição nas diversas lojas nas alas, no hall de entrada e  no carrossel. O  Louvre, em alguns pontos, assemelhasse a um verdadeiro shopping center.



Observação: as obras podem ser fotografadas, desde que não se utilize flash.



Vou reforçar a  observação do museu referente aos pickpocket, os batedores de carteira franceses. Paris é primeiro mundo, mas é famosa pelos seus mão-leves, e eles agem no metrô, nos museus, na Torre Eiffel, na Notre Dame, e sempre em turistas distraídos. Então:

- Coloque a mochila na frente, nunca a leve nas costas, se não for deixá-la no guarda-volumes gratuito.
- Não mostre seu dinheiro.
- Divida as notas em vários bolsos da roupa e da mochila.
- Não dê atenção a desconhecidos, próximos a máquinas de venda automáticas.
- Não coloque a carteira no bolso traseiro.
- Peça a ajuda de um agente de segurança se tiver problemas.


Bem, e se por fim der fome, são pouquíssimas os cafés dentro do museu. Eles estão na entrada  no Hall Napoleón, como já falei acima. Nas alas, é possíve(como já falei acima) comer somente no primeiro andar, nas alas Richelieu, próximo a escada rolante e na área Denon, próximo as escadas.
























Um almoço rápido em um dos cafés do Musée do Louvre, como o Café Mollien, na ala Denon costuma demorar ao menos uns 30 minutos para você conseguir uma mesa.  E só pode comer sentado em uma mesa. São apenas umas 10 ou 15 no local, então, em dias que o museu está muito cheio (quase sempre), tenha paciência. Deixe para comer depois das 3h da tarde. Duas saladas (Denon e Salade César), 2 pãezinhos, 2 tarte aux pommes, um Nestlé Tea, um Jus Orange e 2 expressos custaram ¢ 32,25.
















































Metrô Pallais Royal-Musée du Louvre (linha rosa).

Nenhum comentário:

Postar um comentário