segunda-feira, 7 de novembro de 2016

As pinturas espanholas do Louvre



A coleção de arte espanhola no Louvre possui 130 pinturas de grandes artistas da Idade de Ouro da Pintura Espanhola, como, El Greco, Francisco de Goya e Lucientes, Francisco de Zurbarán, Jusepe de Ribera, Diego de Velasquez e Esteban Murillo.

Cristo na Cruz adorado por dois doadores, El Greco


De El Greco, os destaque são (acima) Cristo na Cruz adorado por dois doadores, onde dois desconhecidos, que seriam prováveis doadores da Igreja Católica, honram o senhor. A pintura de estilo maneirista possui uma data provável  de criação em 1590, Foi feita para o Mosteiro de São Jerônimo, em Toledo, na Espanha, cidade adotada pelo pintor.


São Louis, Rei da França, El Greco




















































































Outro destaque é o Retrato de São Louis, Rei da França. El Greco retrata Louis IX, Rei da França como uma figura longilínea, de mãos longas, rosto fino e rosto melancólico. O quadro foi encomendado por Luis de Castilha, entre 1590 e 1597, futuro executor de El Greco.
















Francisco de Goya y Lucientes iniciou sua carreira como retratista, aos 17 anos e logo transferiu-se para Madrid onde passou a pintar retratos da nobreza. Em 1785, foi nomeado Primeiro Pintor da Câmara do  Rei, tornando-se pintor oficial do Rei da Espanha e da sua família. Em 1821, a Inquisição passou a perseguir Goya devido sua "obscena" Maya. Goya conseguiu livrar-se das acusações cobrindo-a. Acima, à esquerda o retrato de Marina Waldstein, Marquise de Santa Cruz, de 1797. À esquerda, retrato de Don Maria Cistue de Martinez, com dois anos de idade.

Abaixo o retrato de Ferdinand Guillermadet, nobre francês, embaixador da França para a Espanha, entre os anos de 1798 a 1800.









Diego de Velazquez pintou o retrato acima da Infanta Maria Tereza da Espanha, futura Rainha da França e esposa de Louis XIV, com a idade de 15 anos.

Aparição da Virgem e O Nascimento da Virgem, de Bartolomé Esteban Murillo


























Dois quadros de de Murillo estão entre os mais belos da coleção espanhola. O superior é A Aparição da Virgem,  de 1665 e o abaixo se chama O Nascimento da Virgem.





Acima, a sala das pinturas de grande porte. Nas salas adjacentes estão expostas pinturas menores.





                        St. Basile dictant sa doctrine, Bartolomé Esteban Murillo

Meu conselho é, não corte a sala dos pintores espanhóis do seus roteiro, pois é a melhor mostra do país fora da Espanha. As salas ficam  no final da ala Denon, após as salas de pintura italiana, no primeiro andar.

              A exposição do corpo de São Boanaventura, Francisco de Zurbarán

Um comentário:

  1. É sempre maravilhoso ver obras de arte.
    Adoro, ver os talentos da humanidade ao longo do tempo.

    ResponderExcluir